Kesha lança 'Rich, White, Straight, Men' contra o preconceito
Entretenimento

Kesha lança 'Rich, White, Straight, Men' contra o preconceito

Publicidade

A cantora americana Kesha fez uma surpresa para seus fãs. No último domingo, dia 2, ela divulgou uma música inédita em seu canal no YouTube. Intitulada “Rich, White, Straight, Men” (“Homens ricos brancos e héteros”), a nova faixa fala contra o preconceito contra minorias, abordando questões de gênero, classe, raça e sexualidade. A canção ainda não está disponível em outros serviços de streaming e marca a primeira gravação lançada por Kesha desde 2017.

LEIA MAIS: 17 músicas pop que são como remédio para a saúde mental

VEJA TAMBÉM: "Our Music, My Body": Iniciativa feminista quer acabar com o assédio em festivais  

Na letra da canção, ela fala a favor de saúde e educação públicas gratuitas, do direito ao aborto, dos direitos dos imigrantes, do amor e do casamento entre pessoas do mesmo gênero e da equidade salarial entre homens e mulheres, sempre repetindo a mesma pergunta: “E se homens brancos, héteros e ricos não governassem mais o mundo?”. Curiosamente, a canção foi lançada no início do mês do orgulho LGBT. A faixa, musicalmente, também mostra um ritmo diferente do que estamos acostumados a ouvir com Kesha, trazendo uma melodia quase circense que mistura elementos lúdicos e sombrios. Confira:

Falar de direitos humanos, especialmente das mulheres e dos LGBTs não é novidade na carreira de Kesha, que veio ao Brasil se apresentar no Rock in Rio de 2011. O tema é recorrente nas canções e falas da cantora e compositora desde a retomada de sua carreira, com o lançamento do álbum “Rainbow” em 2017. Com críticas positivas, o disco veio após um jejum de cinco anos após “Animal” causado principalmente por sua disputa judicial contra seu ex-produtor Dr Luke, que ainda corre na Justiça dos Estados Unidos.

Com “Rich, White, Straight, Men”, Kesha se une a um já grande grupo de cantoras e cantores da música pop que dedicam várias de suas canções ao empoderamento de minorias e o combate a pautas conservadoras, como Madonna, Beyoncé, P!nk (que estará no Rock in Rio de 2019) e a drag brasileira Pabllo Vittar.

Apresentação de Kesha com diversas outras cantoras no Grammy Awards de 2018 / Getty Images
Apresentação de Kesha com diversas outras cantoras no Grammy Awards de 2018 / Getty Images
Capa do álbum "Rainbow", o último lançado por Kesha, em 2017 / Divulgação
Capa do álbum "Rainbow", o último lançado por Kesha, em 2017 / Divulgação

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest