Kobe Bryant: o lado musical de um ídolo global de cantores e músicos
Inspiração

Kobe Bryant: o lado musical de um ídolo global de cantores e músicos

Kobe Bryant era um astro do basquete. Mas suas atividades iam muito além dos treinos e jogos com os Los Angeles Lakers e tinham uma ligação especial com a cultura. Além de receber um Oscar em 2018 de Melhor Curta de Animação por "Dear Basketball" (ele fez o roteiro e narrou), o jogador adorava música. Bryant, sua filha Gianna e outras sete pessoas morreram em um acidente de helicóptero, em Calabasas, na Califórnia, no domingo (26/01).

Na cerimônia do Grammy, que aconteceu domingo (26/1) à noite, Bryant foi homenageado em diversos momentos. Primeiro, a cantora Lizzo abriu sua performance dizendo "esta noite é pelo Kobe". Depois, Alicia Keys se uniu ao grupo Boyz II Men numa breve versão de "It's So Hard to Say Goodbye to Yesterday". O jogador foi lembrado ainda com sua camisa no palco na apresentação de Aerosmith e Run DMC e com sua imagem no telão ao lado de Nipsey Hussle, rapper assassinado ano passado.

John Legend e YG durante homenagem a Kobe Bryant  na cerimônia do Grammy. Foto: Getty Images
John Legend e YG durante homenagem a Kobe Bryant na cerimônia do Grammy. Foto: Getty Images

Separamos alguns momentos em que Bryant mostrou seu talento também fora das quadras, incluindo aprender a tocar uma peça de Beethoven de ouvido!

Ele fez uma participação em 2009 na música "Hold Me", ao lado do rapper Brian McKnight. No videoclipe, ele aparece jogando informalmente numa quadra de basquete e depois fazendo um rap no meio de uma festa. McKnight já é bem conhecido aqui por suas gravações ao lado de Ivete Sangalo ("Back at One", em 2002) e Sorriso Maroto (“Mais fácil”, em 2013).

Uma prova de que Bryant adorava música foram as divertidas vezes em que surpreendeu ao cantar durante entrevistas. Em 2017, durante o programa de Jimmy Fallon, "The Tonight Show", Max Bonnstetter fez algumas perguntas para o jogador. Foi quando o assunto Disney surgiu, com o pequeno repórter "Sports Illustrated Kids" perguntando se ele preferia "A Bela e a Fera" ou "Moana". O atleta começou a cantar "How Far I Go", dizendo "surgiu naturalmente" porque convivia com três filhas pequenas em casa. Mas o astro da NBA acabou escolhendo "A Bela e a Fera", chamando-o de "clássico atemporal". Foi a deixa para Fallon puxar "Belle" e o jogador completar com "Gaston".

Em novembro do ano passado, Bryant esteve no "The Kelly Clarkson Show". A apresentadora mostrou um vídeo antigo, onde ele dançava em um concurso de talentos na escola. Ele lembra que era uma música de MC Hammer e que a irmã, que fazia parte do evento, pediu para ele participar. E, claro, puxou o assunto de desenhos animados, já que ele era pai de quatro meninas pequenas, entre 16 anos e quatro meses. Bryant disse que assistia muitas animações com as filhas, citando "Moana" e, novamente, cantando um trechinho da trilha sonora.

Quem pensa que Bryant só gostava de rap ou trilhas de animações, está enganado. Em 2016, ele revelou ao "Complex" que aprendeu a tocar, de ouvido, uma peça de Beethoven para surpreender a mulher. "Sentar e tomar aulas seria fácil demais. Então eu me ensinei de ouvido", disse o jogador. E tem o vídeo para provar que ele aprendeu a tocar "Sonata Ao Luar", mostrando que a determinação o movia dentro e fora das quadras. "Se você apenas se sentar e disser: 'Eu vou treinar ou ensaiar isso até aprender', não há realmente muita coisa por aí que você não possa eventualmente descobrir". Então Bryant colocou seus fones e ouviu Beethoven em loop até conseguir acertar as notas.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest