Lady Gaga fala abertamente sobre depressão, autoflagelação e os problemas psiquiátricos que sofreu em consequência de agressões sexuais
Inspiração

Lady Gaga fala abertamente sobre depressão, autoflagelação e os problemas psiquiátricos que sofreu em consequência de agressões sexuais

"Raramente alguém é tão famoso e honesto", disse Oprah Winfrey após entrevistar Lady Gaga diante de 15 mil pessoas em Fort Lauderdale, na Flórida, no 4 de janeiro. A entrevista de uma hora e meia com a cantora vencedora nove vezes do Grammy abriu em alta a primeira parada da "Oprah’s 2020 Vision: Your Life in Focus".

A turnê de Oprah, que tem parceria com o WW (Weight Watchers Reimagined) e terá mais oito convidados em diferentes cidades até março, tem o objetivo de inspirar os participantes a adotar um estilo de vida mais saudável. Além da entrevista, cada parada tem atrações como exercícios de dança e meditação. Seguindo essa proposta, a conversa com Gaga teve como ponto mais importante sua própria luta com a saúde mental.

Gaga e Oprah na Flórida: apresentadora elogiou honestidade da cantora, que falou abertamente sobre seus traumas e doenças. Foto: Getty Images
Gaga e Oprah na Flórida: apresentadora elogiou honestidade da cantora, que falou abertamente sobre seus traumas e doenças. Foto: Getty Images

O site da "Billboard" destacou os 10 momentos mais emocionantes do depoimento de Gaga, com temas como depressão e assédio sexual.

Ela começou chocando o mundo

Lady Gaga amadureceu e não precisa mais de um vestido de carne para atrair a atenção — isso sem deixar de ter orgulho de seu passado. “Foi algo que eu gostei, confundir as pessoas para que elas escutassem a música. A verdade é que isso fazia parte da minha forma de arte... mesmo que parecesse superficial para muitos", disse Gaga a Oprah.

“Isso mudou desde então. Não é mais chocante ter cabelos cor de rosa. E mais, eu acho que a coisa mais chocante que eu poderia fazer é ser completamente honesta com você sobre a minha vida. Falo sobre o que eu passei, as lutas que eu já vi e fiz parte, compartilhando isso com o mundo para que eu possa ajudar outras pessoas que estão sofrendo", opinou.

Lady Gaga e o famoso vestido de carne que usou no MTV Video Music Awards em 2010. Foto: Getty Images
Lady Gaga e o famoso vestido de carne que usou no MTV Video Music Awards em 2010. Foto: Getty Images

Ela é uma sobrevivente de agressão sexual

Gaga foi incrivelmente sincera sobre suas lutas. "Eu fui estuprada repetidamente quando tinha 19 anos", disse ela. “Eu desenvolvi síndrome de estresse pós-traumático em consequência e não tive ninguém para me ajudar. Eu não tinha um terapeuta, psiquiatra ou médico. De repente, me tornei uma estrela, viajando pelo mundo, pulando de quarto de hotel para limusines e o palco e, no fundo, nunca consegui lidar com isso”, contou ela, que se engajou no movimento #MeToo, mas preferiu não revelar quem foi o estuprador para não reviver o momento mais do que ela já fez.

Ela lutou com autoflagelação

Em vez de enfrentar seu trauma, Gaga mergulhou em seu trabalho, explodindo nas paradas e no estrelato internacional tal qual um meteoro destinado a destruir um planeta. Sem terapia e cuidados, ela se voltou para a autodestruição. "Eu costumava me cortar e me jogar contra a parede. Eu fazia coisas horríveis comigo mesmo quando estava com dor”, contou.

Autoflagelação era uma distração da dor psicológica, bem como um meio de dar ao sofrimento invisível alguma prova física. "Você vê o sangue e fica cada vez mais fora de controle. Na verdade, não ajuda em nada. Isso fará com que o estado neurótico de que você está seja prolongado. Eu sempre falo na Born This Way (fundação criada por ela e a mãe): 'Fale sobre sua dor, não me mostre'”.

Gaga e Oprah na época do lançamento da fundação Born This Way, em 2012. Foto: Reprodução Youtube
Gaga e Oprah na época do lançamento da fundação Born This Way, em 2012. Foto: Reprodução Youtube

Ela teve um surto psicótico

Gaga passou quase uma década resistindo à necessidade de tratamento, o que a deixou arrasada e desgastada. Um dia, seu corpo simplesmente desistiu. "Eu estava no sofá, Oprah. Eu não conseguia me mexer. Meu corpo inteiro começou a formigar, depois ficou entorpecido. Fui levada ao hospital gritando: 'Por que ninguém mais está entrando em pânico?'", contou.

“Eles trouxeram um psiquiatra e eu disse: 'Você pode me dar um médico de verdade?'”, ela disse, notando como soava hipócrita vindo de uma mulher que administra uma fundação para a saúde mental. “Depois que começamos a conversar, ele percebeu o que tinha acontecido comigo e prescreveu medicamentos que eu tomei, relutando, a princípio. Ele se tornou meu psiquiatra e montou uma equipe que cuidou de mim, assim 'arrumamos' todas as coisas", relatou.

Ela foi diagnosticada com fibromialgia

"Comecei a sentir essa dor intensa e terrível em todo o meu corpo que parecia muito com a doença que tive depois de ser estuprada", disse à plateia. "Foi uma resposta ao trauma", analisou ela, que foi diagnosticada com fibromialgia, que provoca dores da cabeça aos pés, em 2017. Pouco a pouco, através de medicações, meditação, terapia e exercício, a dor diminuiu e tornou-se mais controlável. "De repente, eu poderia funcionar", disse ela, que se dedicou a aprender mais sobre a doença.

A luta contra o estigma das doenças mentais

"Se eu pegar minha caixa de comprimidos, vai parecer um chocalho", brincou. “Não quero rir, mas é engraçado. Hoje sou mais saudável do que nunca em toda a minha vida. Eu tomo um antipsicótico e sem ele eu ficaria deprimida muita frequência e teria espasmos durante o sono”.Gaga defende os benefícios da ajuda psicológica e chama a atenção para os perigos do uso de narcóticos. “As pessoas se viciam. A saúde mental é a maior crise do mundo", denunciou.

Como resolver o problema da depressão

Além de sua medicação, Gaga acredita profundamente na terapia, incluindo a comportamental dialética. São sessões que fornecem a ela ferramentas para incorporar mecanismos saudáveis ​​de enfrentamento do dia a dia. “Vamos dizer que estou chateada. Então eu pergunto por que estou chateada? Anoto todas as razões e depois verifico os fatos. Se a emoção de se sentir chateada se encaixar nos fatos, vou para a próxima etapa: 'Que ação vou tomar agora para resolver esse problema?' Então, se estou chateada por sentir dores, vou tomar minha medicação que vai me ajudar. Vou falar com um amigo ou meu médico e dizer que não estou me sentindo bem. Vou tentar chegar ao cerne da questão que existe dentro de mim e exprimí-la, fazer o trabalho cognitivo para dizer 'Estou chateada porque é um desencadeamento do estupro que sofri aos 19 anos e estou tendo uma resposta ao trauma. Vou tomar meu remédio e tentar acalmar o meu sistema nervoso o máximo possível para que essa dor se dissipe'”, explicou.

Enfrentando a crise da saúde mental

Com a experiência da depressão e fibromialgia, Gaga despertou para sua própria dor e sofrimento e as formas de curá-los. Agora, ela quer compartilhar essa consciência e sabedoria com o mundo. "Eu acho que tinha que passar por isso tudo, até o estupro. Aconteceu porque Deus estava me dizendo: 'Vou lhe mostrar dor, e então você vai ajudar outras pessoas que sofrem, porque você vai entender'. ... Hoje, faço um juramento como compromisso: é 2020 e, na próxima década e talvez mais, vou reunir os melhores cientistas, médicos, psiquiatras, matemáticos, pesquisadores e professores na mesma sala. E nós vamos passar por cada problema, um por um, e vamos resolver essa crise de saúde mental”, disse, convicta.

Saúde mental como disciplina escolar

A Fundação Born This Way já ajudou a disponibilizar primeiros socorros em saúde mental em muitas escolas americanas e Gaga está comprometida em levar essa ajuda a todas as escolas que puder. "Quero que a saúde mental seja uma disciplina. Deveríamos estar aprendendo sobre o cérebro e o coração, e a mente e o corpo, sua conexão com todas as coisas. Quero que haja alguém em todas as escolas que alguém a quem possa recorrer se precisar de ajuda. Ao mesmo tempo, deve ser um requisito que você aprenda sobre a importância da bondade, sobre os gatilhos e sobre a depressão”, disse.

Ela está trabalhando em novas músicas

Oprah deixou escapar que está trabalhando com o príncipe Harry em um programa para a Apple TV, e que um dos temas abordados será a saúde mental de Lady Gaga ao longo de sua trajetória. A apresentadora aproveitou para perguntar sobre o próximo disco da cantora. "Não se preocupe. Estou trabalhando nisso há um ano ... Estamos tendo uma conversa sobre saúde, mas ainda vou fazer música", garantiu.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest