Lady Gaga fala de apoio emocional de Elton John e Ariana Grande e deseja que fãs 'dancem a própria dor' com 'Chromatica'
Entretenimento

Lady Gaga fala de apoio emocional de Elton John e Ariana Grande e deseja que fãs 'dancem a própria dor' com 'Chromatica'

A pandemia do coronavírus fez Lady Gaga, 34 anos, adiar o lançamento de seu álbum “Chromatica”de 10 de abril para 29 de maio. Ela achou importante se dedicar antes a ações como a organização do evento “One World: Together At Home”. “Queria fazer algo para ajudar o mundo, e trabalhar com a Organização Mundial de Saúde e a Global Citizen foi uma maneira de falar de generosidade e das coisas em que acredito”, explica a cantora. Agora, porém...

“Mal posso esperar pra dançar essas músicas com as pessoas, ir pra um lugar com um bando de gente e botar o som o mais alto possível pra mostrar o quanto eu amo esse povo”, contou Lady Gaga em entrevista ao programa “Beats 1” da Apple Music. Enquanto isso não é possível, ela quer os fãs embarquem em sua viagem e façam a viagem deles também, “dancem por toda a própria dor”, até surgir algum alinhamento com ela, Lady Gaga. “De longe assim, como podemos nos conectar?”, pergunta, convidando.

O disco tem esse aspecto alegre, aparentemente escapista, que Lady Gaga espera que funcione como “inspiração para as pessoas que estão precisando de cura a partir da felicidade, da dança”. “Chromatica” tem participações do britânico Elton John, 73 anos, e da americana Ariana Grande, 26, na já estourada canção "Rain On Me". Lady Gaga chama atenção para a importância de Elton John para seu equilíbrio pessoal, para além da parte artística. “Sou muito agradecida, porque ele sempre sabe quando eu estou down. Ele percebe. E percebe mesmo quando eu escondo. Eu sempre escondendo, nunca quero que saibam que estou assim”, conta, acrescentando que Elton é íntimo do marido dela, David Furnish.

Lady Gaga durante a entrevista: amizade do Ariana Grande e admiração por Billie Eilish e toda a nova geração (Foto: reprodução)
Lady Gaga durante a entrevista: amizade do Ariana Grande e admiração por Billie Eilish e toda a nova geração (Foto: reprodução)

Gaga conta que Ariana Grande a viu chorando quando chegou ao estúdio para gravarem “Rain On Me”. Ariana Grande demonstrou muita empatia, ofereceu apoio e foi insistente nos convites e tentativas de aproximação. “Eu não queria projetar minha negatividade, mas ela em seguida me pegou: 'Você está se escondendo'. A partir daí, nossa amizade fluiu”, explicou Gaga.

“Eu desenvolvi um medo do público, mas não um medo das pessoas. Eu amo as pessoas. Então, esse álbum é sobre como eu voltei para as pessoas. E quando me conecto fico tipo 'Ei, eu estou aqui, sou uma pessoa, sou um artista, não sou uma celebridade. Eu quero acabar com essa coisa de celebridade”, desenvolve.

Para Lady Gaga, o novo trabalho tem um aspecto de cura: ela diz que aprendeu a perdoar a si mesma por se auto-sabotar e decidiu não mais se rotular como “sobrevivente ou vítima de agressão sexual". “Eu sou apenas uma pessoa que é livre, que passou por momentos difíceis. Não preciso sentir dor. Pode ser apenas uma parte de mim, eu posso seguir em frente”, conta. A música "Free Woman" é uma das que a ajudou a enfrentar o trauma de ter sido sexualmente atacada por um produtor musical (de nome não revelado).

Lady Gaga deixou claro que ama toda uma nova geração de artistas, citando com ênfase especial, Billie Eilish. “Eu não estou em competição com ninguém. Quero que todo mundo vença. Quero apoiar e amar, é assim que eu me sinto no mundo. Sinto que a minha rebeldia na vida é ser generosa, a um nível que seja quase um incômodo para certas pessoas”.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest