Lil Miquela: a influencer, modelo e cantora feita a partir de computação gráfica
Entretenimento

Lil Miquela: a influencer, modelo e cantora feita a partir de computação gráfica

Publicidade

Ela tem mais de 1,4 milhões de seguidores no Instagram, modelou para a Prada e lançou três músicas em plataformas digitais como Apple Music e Spotify. Mas tem um porém: ela não é um ser humano. Miquela Sousa ou Lil Miquela, como ficou conhecida na internet, é uma CGI: sigla em inglês para “imagem gerada por computador”.

ONDE QUISER: App leva músicos para tocar na sua casa usando realidade aumentada

LEIA TAMBÉM: Cérebro de músicos reage de forma diferente ao som de seu 'instrumento', diz pesquisa

Brasileira-americana natural de Downey, na Califórnia, a personagem de 19 anos foi criada e desenvolvida em 2016 por um grupo de contadores de histórias e designers da startup estadunidense Brud, sediada em Los Angeles, e especializada em inteligência artificial e robótica. Os jovens Bermuda e Bawko também fazem parte do catálogo de influenciadores “de mentira” da companhia.

Instagram URL not provided

A voz de Lil Miquela é um tanto robótica e a melodia das canções da jovem é caracterizada por batidas secas de trap e hip-hop; tudo para combinar com a personalidade moderna e computacional da instagrammer. Em suas três músicas lançadas, “Not Mine”, “You Should Be Alone” e, a mais recente, “Hate Me”, realizada em parceria com Baauer - produtor da viral “Harlem Shake” -, Miquela canta sobre decepções amorosas e questões bastante comuns à juventude (real) de sua faixa etária.

Com uma aparência que lembra a de personagens do jogo “The Sims”, Miquela revelou apenas em abril deste ano que não é um ser humano. Além de diversos comentários em seu perfil do Instagram de pessoas que j-u-r-a-m a humanidade da it-girl, Lil Miquela foi citada na lista, divulgada em junho deste ano, das 25 pessoas mais influentes da internet pelo site da revista americana “TIME”, junto a personalidades como Rihanna e Donald Trump.

Instagram URL not provided

Além de demonstrar ampla sensibilidade e de não ter medo de externalizar as próprias vulnerabilidades para os seguidores de seu perfil no Instagram, a personagem também apoia movimentos sociais como o “Black Lives Matter” - contra a violência à população negra nos EUA - e causas LGBTQ.

Segundo um documento da misteriosa Brud, a startup “opera a partir da crença de que a tecnologia pode ajudar o mundo a ter um futuro mais empático e tolerante” - e Lil Miquela é um dos registros desse preceito.

Ouça "Hate Me", o lançamento mais recente da cantora:

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest