'Lip sync for your life': confira as dublagens mais incríveis de 'Rupaul's Drag Race'
Entretenimento

'Lip sync for your life': confira as dublagens mais incríveis de 'Rupaul's Drag Race'

A arte drag existe desde a Grécia Antiga, quando homens interpretavam personagens femininas no teatro, já que mulheres eram proibidas de atuar. Com o tempo e a entrada de mulheres no mundo das artes, drags acabaram indo para um lado mais caricato e cômico, sendo, no início do século XX, incorporadas ao universo e à cultura LGBT. Mas foi apenas em 2009, com a estreia da primeira temporada do reality show “RuPaul’s Drag Race”, que essa expressão artística tornou-se um fenômeno pop mais forte do que nunca.

“RuPaul” já conta com 11 temporadas da competição principal, “4 All Stars” (quando participantes queridas do público voltam para uma nova chance de vencer) e um especial de Natal. A cada nova edição do reality um novo grupo de artistas transformistas participa de provas de atuação, costura, dança e outros talentos para definir quem será a próxima superestrela drag dos Estados Unidos (e do mundo). Mas um dos pontos altos do programa é no final de cada episódio, quando duas participantes fazem um duelo de dublagem, conhecido como “lip sync for your life”. Nesse momento, ao som de alguma música, as drags fazem de tudo para permanecer na competição (ou ter o direito de eliminar uma concorrente, como é o caso do “All Stars”), e, temporada após temporada, ficamos cada vez mais surpresos com o que elas podem fazer.

Em homenagem ao mês do orgulho LGBT, o Reverb preparou uma lista com os melhores lip syncs já feitos em “RuPaul’s Drag Race”. Confira abaixo nossa lista com todo o carisma, originalidade, coragem e talento desses artistas fabulosos!

‘The Greatest Love of All’

Em sua primeira temporada, o programa ainda não tinha muito orçamento. Com uma produção simples, é visível a diferença para as edições mais recentes da competição. No terceiro episódio, a drag Shannel foi chamada atenção por “tentar ser perfeita demais” e não mostrar suas vulnerabilidades. Em um lipsync de “The Greatest Love of All”, de Whitney Houston, a peça que ornamentava sua cabeça caiu e ela continuou dublando, arrancando aplausos de RuPaul. Na reunião das participantes da temporada, porém, ela confessou que derrubou a peça intencionalmente para mostrar aquilo que os jurados queriam ver.

‘MacArthur Park’

Manila Luzon e Delta Work eram duas queens que estavam no grupo chamado “Heathers” na terceira temporada. Perto do fim da competição, as duas precisaram dublar por suas vidas. Ao som de Donna Summer, Manila mostrou toda a sua veia cômica fazendo duas caras e bocas. Ela venceu o duelo, continuou na competição e chegou até a final, ficando em segundo lugar.

‘This Will Be’

Ao ver Natalie Cole como uma das juradas, Dida Ritz teve certeza de que sua missão era fazer a cantora voltar para casa orgulhosa de ver sua canção dublada por ela. E ela deu um show! Com muita alegria, sacudindo sua peruca e andando de um lado para o outro da passarela, a drag atraiu todos os olhares da apresentação, eliminando sua colega The Princess.

‘It’s Raining Men (The Sequel)’

Isso aconteceu em um dos episódios mais lendários da história de RuPaul’s Drag Race. As grandes rivais da temporada, Sharon e Phi Phi, trabalharam juntas num desafio em duplas e acabaram em último lugar, tendo que dublar por suas vidas. Willam, que venceu naquela semana, passou mal e vomitou no palco. As queens que corriam risco de serem eliminadas dublaram como poucas vezes se viu, com Phi Phi mostrando seu talento para dança e Sharon mostrando seu carisma. No fim, quem foi eliminada foi a Willam, que teria descumprido regras do programa e acabou desclassificada.

‘Whip My Hair’

Uma das coisas mais legais em lip syncs é quando as drags fazem alguma revelação no meio da apresentação. Tudo isso começou neste lipsync. Enquanto Alyssa Edwards mostrava o poder de sua dança, Roxxxy Andrews tirou sua peruca, revelando uma outra peruca por baixo daquela. Então, as duas seguiram a canção e fizeram o famoso “bate cabelo”. Surpresa com a qualidade do lip sync, RuPaul não eliminou ninguém naquele episódio.

‘Cold-Hearted Snake’

Mais uma vez, duas rivais dublaram uma contra a outra. Alyssa Edwards e Coco Montresse tinham problemas desde antes das gravações do programa e, mesmo tentando algumas vezes, não conseguiam se resolver. Com a música de Paula Abdul que fala de uma cobra traiçoeira e de coração gelado que conta mentiras, as duas tentaram ficar, com Coco levando a melhor. Antes de sair, Alyssa deu os parabéns à rival e, meses após as gravações, elas contaram que os problemas eram coisa do passado.

‘Molambo Nº1’

O último lip sync antes da final foi entre Jynkx Monsoon e Detox. “Molambo Nº 1”, uma das músicas mais diferentes a serem escolhidas para uma dublagem na história do programa, foi perfeito para a maneira irreverente de dublar que as duas drags apresentavam. Com muitas mexidas de mandíbula e rebolados, era difícil saber quem ia ganhar, mas Jynkx levou a melhor.

‘Stupid Girls’

Este lip sync aconteceu na sexta temporada, quando Laganja Estranja e Joslyn Fox se apresentaram ao som do hit de Pink. Teve revelação de peruca e muita dança, mas o momento mais impressionante foi quando, sem se olharem, as duas drags abriram um espacate ao mesmo tempo.

‘Roar’

O sucesso de Katy Perry foi a canção a ser dublada em um episódio com o tema Hello Kitty. Kennedy Davenport e Katya, ambas muito queridas do público, se enfrentaram. Com um começo morno, este acabou sendo um dos melhores momentos de toda a temporada, com Kennedy se jogando do palco e caindo no chão cerca de um metro abaixo abrindo um espacate.

‘And I Am Telling You I’m Not Going’

Na oitava temporada, Thorgy Thor e Chi Chi DeVayne se enfrentaram no lip sync da canção do musical “Dreamgirls”. Chi Chi entregou uma das performances mais emocionantes já feitas na competição, colocando todo o seu coração na passarela e deixando todo mundo arrepiado!

‘Shut up and Drive’

Alyssa Edwards e Tatianna, eliminadas do “All Stars 2”, lutavam pela única vaga para retornar à competição. E elas mostraram mesmo o quanto queriam estar de volta. É difícil até explicar, só vendo mesmo. Aparentemente, a única pessoa que não gostou da apresentação foi Phi Phi O’Hara, que foi eliminada pelas duas vencedoras nesse episódio.

‘So Emotional’

Sabe quando a Seleção Brasileira faz um gol numa final de Copa do Mundo? A sensação foi mais ou menos essa quando Sasha Velour tirou as luvas, trazendo uma chuva de pétalas de rosa para o palco da final da nona temporada. Quando a gente achava que não dava mais para melhorar, ela simplesmente ergueu sua peruca, mostrando sua careca (marca registrada da drag) e fazendo mais pétalas caírem sobre ela. Não dá para não achar incrível.

‘I Kissed a Girl’

Shangela e Ben DeLaCreme chegaram ao “All Stars 3” e logo se mostraram favoritas ao título (que, no final, foi para Trixie Mattel). Assim como em “All Stars 2”, as dublagens não eram “pela vida”, para evitar a eliminação, mas sim entre as melhores do episódio, pelo direito de eliminar uma concorrente. Ambas deram tudo de si e até trabalharam juntas (com direito a um selinho no final) ao som de “I Kissed a Girl”, primeiro grande sucesso de Katy Perry.

‘Pound the Alarm’

A gente adora quando as queens abrem o espacate no meio de um pulo, mas a Monet x Change nos surpreendeu justamente quando não fez isso. No lip sync de “Pound the Alarm”, ela respirou fundo, se benzeu e pulou, mas caindo sobre as duas pernas fazendo uma cara de “nem pensar que eu vou fazer isso agora!”, levando os jurados às gargalhadas. Mas, mostrando que ela consegue, sim, fazer o movimento, ela foi ao chão no fim da apresentação da qual foi campeã.

‘New Attitude’

Vestidas como idosas, Eureka e Cameron Michaels dublaram uma contra a outra na décima temporada. Essa foi uma daquelas apresentações que são tão boas que é difícil saber quem venceu. E foi difícil até para RuPaul, que acabou mantendo as duas queens na competição. O voto de confiança valeu a pena: as duas chegaram à final.

‘Sorry Not Sorry’

Talvez o episódio mais aguardado de todas as temporadas seja o do “Snatch Game”, quando as queens imitam pessoas famosas em um jogo de completar frases. Na 11ª temporada, duas das favoritas do público, Brooke Lynn Hytes e Yvie Oddly, foram as piores nessa prova. Preparadas para dublar por suas vidas, elas deram um show com o sucesso de Demi Lovato, rendendo mais um episódio sem eliminações para a história de “RuPaul’s Drag Race”.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest