Luiza Casé lança 'Mergulho' e conta sua trajetória pós-Lorelai e Geleia do Rock
Entretenimento

Luiza Casé lança 'Mergulho' e conta sua trajetória pós-Lorelai e Geleia do Rock

“Eu, leve menina/ Relevo tudo/ Que pesa” são versos de “Estranha Manhã”, segunda faixa do projeto de estreia da carreira solo de Luiza Casé, 30, na música, e parecem retratar bem os caminhos escolhidos pela artista até aqui. Batizado de "Mergulho", o álbum é retrato das experiências, desabafos e observações da cantora-compositora-atriz-roteirista carioca que não cansa de se reinventar e abrir frentes criativas. Em entrevista ao Reverb, Luiza deu detalhes sobre os processos que a fizeram perceber suas verdadeiras paixões profissionais (e de vida) ao longo dos anos.

“Estudei no Colégio Santo Inácio, não curti. Estudei Direito na PUC, também não curti. Depois, fui cantar e atuar, aí eu curti”, conta Luiza, descontraída. Filha de pais diretamente ligados ao setor artístico e cultural — mãe dançarina e coreógrafa e pai produtor de cinema —, a intérprete da personagem Lorelai da temporada de 2010 da novela "Malhação", da Rede Globo, e ex-participante do programa Geleia do Rock, do Multishow, se descobriu parte dos produtores de arte naturalmente, mas sempre por meio de experimentações.

Luiza Casé se aventura pela poesia dos próprios desabafos e experiências no álbum de estreia "Mergulho", lançado em julho deste ano / Foto: Peter Wrede
Luiza Casé se aventura pela poesia dos próprios desabafos e experiências no álbum de estreia "Mergulho", lançado em julho deste ano / Foto: Peter Wrede

"Eu sou uma pessoa que gosta de variar", explica Luiza. "Eu não me sinto me enquadrando em nenhum gênero [musical]. Eu faço música sobre uma coisa que me desperte algum interesse em relação à sensação que eu experimentei no momento ou a alguma reflexão que eu achei interessante. E, em termos de sonoridade, eu gosto de tudo", diz. Durante todo o "Mergulho", é possível perceber o cuidado dos produtores Arto Lindsay e Thiago Nassif para preservar, no som, especificamente essas características da artista.

Eu sou uma pessoa que gosta de variar

Lançado em julho deste ano, o álbum é fruto da fase pós "blues-funk-rock" de Luiza (como ela mesma a chama). "Depois de ficar muito tempo cantando em barzinho, em festa, em casamento e festival de blues, eu falei: 'eu preciso variar, eu quero crescer'", explica cantora, que trouxe do gênero musical americano a capacidade de se conectar com as mais profundas emoções.

Assista à entrevista completa de Luiza Casé:

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest