Matty Healy, do The 1975, diz que só vai tocar em festivais que tenham igualdade de gêneros
Entretenimento

Matty Healy, do The 1975, diz que só vai tocar em festivais que tenham igualdade de gêneros

O grupo inglês The 1975 acaba de engrossar a luta por uma maior igualdade de gêneros nos festivais de música. Em resposta a um tweet da jornalista Laura Snapes, do diário "The Guardian", o vocalista Matty Healy prometeu que, a partir de agora, a banda só tocaria festivais de música com equidade de gênero.

Laura lançou um desafio no Twitter solicitando que artistas do sexo masculino incluíssem cláusulas de inclusão em seus contratos com festivais. Ela chamou atenção para os festivais de Reading e Leeds, que acontecem em agosto na Inglaterra e que terão apenas 20 atrações femininas dentro dos 91 nomes da programação. Dos 18 que se apresentam no palco principal, apenas três são mulheres.

Matty Healy: "A partir de agora vai ser assim". Foto: Getty Images
Matty Healy: "A partir de agora vai ser assim". Foto: Getty Images

"Tome isso como eu assinando este acordo. Eu já fiz contratos com festivais que não seguem essa regra e não quero decepcionar os fãs que já têm ingressos. Mas a partir de agora vai ser assim. Acho que os artistas masculinos podem ser verdadeiros aliados", escreveu Healy em sua conta na rede social.

A jornalista ficou feliz com o retorno e provocou, querendo saber como ele negociaria com seus promotores de shows. "Tenho certeza de que meus agentes estão muito preocupados, mas às vezes as pessoas precisam agir e não conversar", afirmou o vocalista da banda de pop rock de Manchester.

Em uma entrevista ao jornal inglês, Healy disse que gostaria de ver outros artistas adotando uma postura semelhante de representação. "É tudo uma questão de ação. Quando se trata de grandes pautas sociopolíticas e governos estão envolvidos, às vezes ações ou protestos podem ser ignorados. Mas quando se trata da indústria da música, podemos mudar isso. É algo que, se todos embarcarem, podemos consertar", opinou ele.

Healy acrescentou que as pessoas precisam "levar um chute no traseiro": "Não estou dizendo que as pessoas nesses papéis agora são cegamente ignorantes, mas devemos aceitar que algumas devem estar dispostas a aprender”.

Além do vocalista, conhecido por ser um grande defensor da comunidade LGBTQ, todo o The 1975 — Adam Hann (guitarrista), George Daniel (baterista) e Ross MacDonald (baixista) — é engajado em causas sociais e ecológicas. "Notes on a Conditional Form", o novo disco que será lançado em 24 de abril, já teve quatro faixas divulgadas, entre as quais "The 1975", que traz um discurso da ativista Greta Thunberg.

A banda fará em julho uma apresentação no Finsbury Park usando o combustível sustentável HVO, que reduz a emissão de carbono em 90%. Eles se comprometeram também a plantar árvores a cada ingresso vendido através da iniciativa One Tree Planted. No início de 2019, criaram uma linha de produtos sustentável, usando camisetas e moletons velhos que não foram vendidos.

O grupo incentiva ainda a reciclagem, permitindo que os fãs levem camisas antigas do 1975 ou de qualquer outra banda aos shows para serem reimpressas com ilustrações do novo disco. A turnê atual roda a Europa até março e segue para os Estados Unidos em abril e maio.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest