Merry Clayton, a voz por trás de um clássico dos Rolling Stones
Heineken Rock

Merry Clayton, a voz por trás de um clássico dos Rolling Stones

O telefone toca, são 23h30. Merry Clayton está grávida e já se prepara para dormir. Ao lado do marido, atende a ligação inoportuna. "Merry você está ocupada?", pergunta um amigo do outro lado da linha. "Não, eu estou indo dormir", responde. O amigo em questão era Jack Nitzsche, produtor dos Rolling Stones. Ele e a banda inglesa estavam em um estúdio e precisavam que uma mulher fosse gravar vocais para uma faixa do que viria a ser “Let It Bleed”. Merry quase não saiu de casa, até ser convencida pelo marido. A decisão fez a cantora entrar para a história do rock. Ela é a voz que ecoa além de Mick Jagger nos versos de "Gimme Shelter".

"(Quando eu cheguei ao estúdio) eu disse, 'toquem a faixa, já está tarde. Eu gostaria muito de ir embora para a minha casa'. Eles tocaram a música e me disseram que eu deveria cantar aqueles versos. Eu fiz a primeira parte e depois parei na parte de 'rape, murder' e questionei por que eu estava cantando aquilo. Eles me explicaram a essência do que as letras eram, e eu disse ‘isso é legal’”, disse a cantora, em entrevista ao documentário “A Um Passo do Estrelato”, de 2014, disponível na Netflix. Ela se lembra que teve que se sentar em um banquinho no estúdio porque a gravidez já lhe pesava a barriga.

"Foi um espetáculo para ser visto. Gravamos e eu percebi que eles gritavam do outro lado da cabine enquanto eu cantava, mas eu não sabia por que", afirma. Os gritos eram de apreciação. Quem ouve "Gimme Shelter" com atenção, consegue perceber a euforia provocada no estúdio pelos vocais de Merry.

Mick Jagger falou sobre a gravação em uma entrevista dada para a NPR em novembro de 2012.

"Quando nós chegamos em Los Angeles para mixar o álbum ("Let It Bleed"), pensamos que seria bom ter uma mulher para cantar aquela parte. Nós ligamos para ela no meio da madrugada, aleatoriamente. ela chegou e fez aquilo em um ou dois takes, o que foi incrível. Ela chegou e arrebentou com aquela letra estranha, como vocês podem ouvir na gravação", relembra o astro.

Merry Clayton não conhecia os Rolling Stones. Filha de um pastor batista, ela cresceu cantando na igreja que seu pai ministrava, em Nova Orleans. Antes de trabalhar na icônica faixa do grupo britânico, Merry já havia trabalhado com The Supremes, Elvis, além de ter cantado no grupo de backing vocals de Ray Charles, The Raelettes.

A emoção com que Clayton canta é tanta que é possível ouvir sua voz falhar em dois momentos. O que era para ser guardado na memória dela como uma noite incrível, se transformou em pesadelo. Pouco depois de sair do estúdio em que estava com os Stones, Clayton sofreu um aborto espontâneo. Por muitos anos, ela não conseguiu ouvir a música sem que isso lhe trouxesse sofrimento. "Foi um período muito obscuro para mim, mas Deus me deu forças para superá-lo. Não me incomoda mais cantar 'Gimme Shelter'", contou em entrevista ao Los Angeles Times, em 1986.

O que é rock pra você?
Para nós, rock não é um gênero musical, é atitude! Um comportamento, um jeito diferente de ver as coisas. Com um olhar rock da vida, o Reverb se uniu à Heineken para entregar o tipo de conteúdo que, só de ler, já conseguimos ouvir, cantar e dançar. Afinal, o rock não vem do palco, vem de você.


Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest