Música tem poder de cura e efeitos positivos imediatos no cérebro, expõe documentário
Inspiração

Música tem poder de cura e efeitos positivos imediatos no cérebro, expõe documentário

Isabelle Raynauld cresceu se sentindo culpada por sua capacidade de ouvir. "Do lado de meu pai, todas as minhas tias, tios e primos eram surdos. Para mim, era um imenso privilégio poder ouvir", explicou a cineasta e professora da Université de Montréal ao "Montreal Gazette". Na sua casa havia música o tempo todo. Seus pais se conheceram em um coral na universidade, sua mãe tocava piano e seu avô era cantor de ópera. Quando Isabelle sofreu uma concussão em 2010, ouvir música fazia parte de seu tratamento.

A situação levou Isabelle a pensar e resultou em seu documentário "The Mystical Brain", de 2006, sobre estados alterados provocados pela meditação. Daí, ela começou a se questionar sobre os poderes transformadores da música.

Seu novo documentário "Tuning the Brain With Music" começou a ser produzido quando ela recebeu uma bolsa que a auxiliou na busca de exemplos científicos e da vida real de como a existência humana é afetada positivamente pela música. "Eu realmente acho que a música é para o cérebro o equivalente de oxigênio para os pulmões. É algo regenerador, que pode mudar seu humor em cinco minutos sem efeitos colaterais”, disse a cineasta.

Entre os entrevistados do filme está Harvey Alter, um ex-criminologista de Nova York que desenvolveu afasia, perdendo a capacidade de falar após um derrame em 2003. Ele reaprendeu a falar através do canto. Outro personagem é Jim Lowther, fundador da Guitars for Vets Canada, que usa a música para ajudar veteranos do exército a lidar com o Transtorno de Estresse Pós-Traumático.

Isabelle teve uma experiência marcante quando se aproximou de Julien Perrin para conversar com os participantes de seu programa de terapia musical para jovens sem-teto em Montreal. Antes de se comprometer com qualquer coisa, Julien pediu que ela participasse dos círculos semanais de bateria. "Eu realmente gostei daqueles encontros. Eles me curaram também. Muitos desses jovens têm histórias incríveis - muitos são extremamente talentosos -, mas a vida não tem lhes dado muitas oportunidades", lamentou.

O filme mostra também um programa de musicoterapia para crianças autistas que as ajuda a se comunicar através de instrumentos e microfones e cantando diariamente. No Hospital Infantil de Montreal, um musicoterapeuta alivia a dor de bebês prematuros simplesmente cantando para eles.

"Uma das coisas que me surpreendeu foi o imediatismo com que a música pode afetar a ansiedade de uma pessoa e acalmar seus pensamentos", disse Isabelle. “Os bebês prematuros podem realmente se acalmar e diminuir a frequência cardíaca. Eu testemunhei isso em uma sessão de musicoterapia de 20 minutos. Esses bebês entraram em um estado diferente”, afirmou.

Bebês prematuros se acalmam com música. Foto: Reprodução Youtube
Bebês prematuros se acalmam com música. Foto: Reprodução Youtube

Isabelle ressalta que o objetivo do filme é encontrar não apenas histórias, mas provas do que a música faz nas células do corpo e do cérebro. Para isso, ela entrevistou o neurocientista David Poeppel e também membros do Laboratório Internacional de Montreal para Pesquisa sobre Cérebro, Música e Som.

“Espero que o documentário encoraje as pessoas a tomar as coisas com as próprias mãos e inserir a música em suas vidas, seja cantando, aprendendo um instrumento, entrando em um coral… ou ouvindo uma música que emocione. A música tem verdadeiros poderes de cura”, disse Isabelle.

Tags relacionadas:
InspiraçãoSaúdeCinema

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest