Na semana da Consciência Negra, conheça 17 artistas negros em ascensão no Brasil
Inspiração

Na semana da Consciência Negra, conheça 17 artistas negros em ascensão no Brasil

Na semana em que comemoramos o Dia da Consciência Negra, em 20 de novembro, nós, do Reverb, preparamos uma série de conteúdos sobre músicos negros brasileiros. O primeiro é esta lista com talentos em ascensão no país. São músicos, cantores e rappers, grupos, coletivos de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, profissionais que se dedicam aos mais variados gêneros. Alguns ainda não são tão conhecidos no mainstream, mas muitos já têm trajetórias reconhecidas dentro da música preta do Brasil:

Drik Barbosa

A rapper Drik Barbosa está no corre da música há alguns anos, mas seu espaço continua a ser construído. Não que isso seja negativo, ao contrário. Ela tem adquirido muita experiência, mostrado versatilidade a cada lançamento de sua carreira e conquistado muitos fãs neste processo.

Fazendo uma breve retrospectiva, Drika chamou a atenção da galera em "Mandume", faixa de Emicida — cuja gravadora patrocina Drika —, se juntou ao coletivo de mulheres do rap Rimas e Melodias — com Tássia Reis, Karol de Souza, Stefanie, Alt-Niss, Tatiana Bispo e a DJ Mayra Maldjian —, lançou o EP "Espelho" em 2018 e agora, em 2019, estreia com seu álbum autointitulado.

Tuyo

As irmãs Lay e Lio, acompanhadas por Jean — namorado de Lio — formam o trio curitibano Tuyo. Eles fazem um som meio indie, meio folk, meio sentimental, perfeito para curtir uma bad num dia chuvoso, debaixo do edredom, comendo pipoca e bebendo algo aconchegante.

É uma banda independente que em 2018 lançou um álbum imperdível, "Pra Curar". A partir das colaborações de destaque, como Baco Exu do Blues em "Flamingos", e "Cada Acidente", com o Fresno, seguem ampliando seu público.

Linn da Quebrada

Cantora e compositora, atriz de TV — ela está no ar na série "Segunda Chamada", da Globo — e apresentadora — do "TransMissão", com sua amiga Jup do Bairro —, protagonista de filme — em "Bixa Travesty" —, ativista do movimento negro e LGBTQI+, natural de São Paulo, de 29 anos. Este é o currículo de Linn da Quebrada, artista que, ano após ano, mostra uma nova faceta, uma nova pele, ela é quase uma cobra.

Malía

Malía, de 20 anos, é uma jovem cria da Cidade de Deus, comunidade do Rio de Janeiro, que chegou no cenário pop brasileiro colocando o pé na porta com o disco "Escuta", lançado neste ano. Uma das faixas do álbum, "Dilema", integra a trilha sonora de "Malhação", e no Rock in Rio 2019 ela foi convidada para se apresentar no Espaço Favela.

Gabz

Gabz, ou Gabrielly Nunes, é uma rapper brasileira de 20 anos que, antes de se aventurar na música, fez muitas participações na TV. Em 2019, ela viveu a personagem Jaqueline, em "Malhação", e lançou o single "Nada Vai nos Parar" com Baco Exu do Blues, um dos nomes mais expressivos do rap nacional na atualidade.

Agnes Nunes

Agnes Nunes é natural de Feira de Santana, na Bahia, mas radicada em Campina Grande, na Paraíba. Ela tem apenas 16 anos e começou a fazer sucesso na internet em vídeos mostrando sua bela voz — como na cover de "Me Desculpa Jay-Z", de Baco Exu do Blues. Foi assim que ela começou a chamar atenção de artistas como Lázaro Ramos, Alok e Pabllo Vittar, e, hoje, já tem alguns singles divulgados nas plataformas de streaming.

Zudizilla

Zudizilla é um rapper de Pelotas, no Rio Grande do Sul. Isso, por si só, já é muita coisa. Não é fácil despontar no cenário do rap estando fora do eixo Rio-SP. Mas ele tem cacife para muito mais. Para comprovar, escute seu disco mais recente, "Zulu, Vol 1: De onde eu possa alcançar o céu sem deixar o chão" (2019).

Afrocidade

A banda Afrocidade nasceu de um encontro de percussionistas no começo dos anos 2010 e, desde então, já é um dos expoentes da cena baiana atual, que tem como representantes já consolidados o BaianaSystem, Baco Exu do Blues, Luedji Luna, Larissa Luz e Giovani Cidreira. Mistura axé, com pagode baiano, rap, e tudo mais que couber no caldeirão deles.

Bia Ferreira

Mineira de 26 anos, Bia Ferreira é uma cantora, compositora e multi-instrumentista negra radicada em Aracaju, em Sergipe. Estudou piano, violão e outros 24 instrumentos. Em 2019, lançou seu primeiro álbum, "Igreja Lesbiteriana, Um Chamado", e participou de algumas apresentações do musical sobre Elza Soares, protagonizado por Larissa Luz.

Edgar

Edgar é um rapper paulista de Guarulhos de 25 anos. Destaca-se na cena de rap por ser um cara totalmente fora da caixinha, experimental até o talo, e que tem um "quê" de Chico Science, um dos inventores do manguebeat.

Àttøøxxá

O coletivo Àttøøxxá está para a Bahia assim como o Heavy Baile está para o Rio de Janeiro. Surgiu na cena em 2017 com "Elas gostam (Popa da bunda)", um dos hits do carnaval baiano em 2018 nas vozes de cantores como Léo Santana e Márcio Victor, percussionista e vocalista do Psirico.

Mc Tha

MC Tha, de 26 anos, é cria dos bailes funks paulistas e dos terreiros de umbanda. Sua vivência, tão particular e comum a de outros negros de todo o Brasil, está impressa no disco de estreia "Rito de Passá" (2019).

Josyara

Josyara Lélis, ou apenas Josyara, como é conhecida na cena musical, é uma cantora natural de Juazeiro, na Bahia — cidade natal de João Gilberto, Ivete Sangalo e dos Novos Baianos. Em 2018 lançou seu disco de estreia, "Mansa Fúria". Um ano antes, estava apaixonando corações em São Paulo, em uma participação do Sofar Sounds.

Fabriccio

O capixaba Fabriccio é um cara romântico, que abraça diversas vertentes da black music como poucos e, detalhe, está apenas começando. Ele colabora com Tássia Reis na faixa "Eu + Vc", do disco "Próspera" (2019). Também tem um álbum de inéditas, "Jungle", de 2017.

FP do Trem Bala

FP do Trem Bala, ou Luiz Felipe, de 20 e poucos anos, é um DJ de funk extremamente bombado na cena carioca. Ele é adepto do 150 BPM e dono de alguns dos hits mais tocados nas festas do Brasil, como "Vamos Pra Gaiola", com o MC Kevin O Chris.

Iasmin Turbininha

Iasmin Turbininha é apontada por muitos como a primeira DJ carioca de funk nos bailes de favela. Tem 22 anos, já foi atendente de lanchonete e, hoje, a cria da Mangueira é uma das DJs mais queridas da cidade do Rio de Janeiro.

MC Rebecca

MC Rebecca é uma cantora de funk carioca de 21 anos, criada no Morro São João, no Engenho Novo, zona norte do Rio. Ela foi revelada por Ludmilla e, a partir disso, não parou mais. Tem parcerias com Kevin O Chris, em "Repara", e "Combate", com Luísa Sonza, Lexa e Anitta.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest