No dia 14 de janeiro de 1978, os Sex Pistols fazem seu último show
Especial

No dia 14 de janeiro de 1978, os Sex Pistols fazem seu último show

"Você já teve a sensação de ser enganado?", rosnou Johnny Rotten no dia 14 de janeiro de 1978, quando o grupo Sex Pistols encerrava o último show de sua única turnê pelos Estados Unidos, em São Francisco. Aquele também seria o último disco do grupo — e a pergunta feita pelo vocalista não era dirigida apenas para o público, mas também para ele mesmo, quando descreveu, anos mais tarde, em sua autobiografia "Rotten: No Irish, No Blacks, No Dog": "Me senti enganado e sabia que aquilo não iria durar muito. Era uma farsa ridícula. Tudo ali era uma piada naquele ponto."

Culpe o empresário Malcolm McLaren, que teve a brilhante ideia de fazer uma turnê norte-americana com os Sex Pistols deixando de fora dos grandes centros dos EUA, como Nova York e Los Angeles, em que já existiam cenas punk que poderiam encher e gostar do show. Em vez disso, ele planejou uma turnê passando pelos estados mais conservadores dos EUA, no sul do país, em cidades como Atlanta, Memphis, San Antonio, Baton Rouge, Dallas e Tulsa. Locais que, além de conservadores, se orgulhavam, na maioria, de suas raízes roqueiras, o que tornava a passagem dos Sex Pistols um ultraje.

Foi assim que o grupo conseguiu mídia, ávida pelas nojeiras relacionadas à banda, chocando o público dos shows e transeuntes com atitudes violentas e insólitas. Quando chegaram no último dia da turnê, subiram ao palco do Winterland, que já tinha sido uma meca hippie anos antes, com abertura de bandas locais como Avengers e Nuns (esta última contava com o futuro cantor e compositor indie folk Alejandro Escovedo). "Bem vindos a Londres!", esbravejou Johnny Rotten no início do show, abrindo com "God Save the Queen" seguida do famoso repertório da banda, com direito a "No Fun", dos Stooges.

O show não foi tão ruim quanto poderia ter sido (apesar de Sid Vicious se esforçar bastante) e durou uma hora, mas a banda já estava esgotada e não via a hora de tudo terminar. “Me dá mil dólares, seus chupa pau”, Sid Vicious brigava com o público, enquanto Rotten só fazia piada: “Se você aguenta isso, aguenta qualquer coisa”. Logo após o show de despedida, Johnny deixou a banda e quando voltou para a Inglaterra já não era Johnny Rotten: reassumiria seu nome de batismo John Lyndon e iniciaria a banda pós-punk Public Image Ltd. Sid Vicious morreria logo depois e a banda acabaria - apenas para retornar como um arremedo de si mesmo nos anos 1990.

14/1/1966: Nasce Bowie

O cantor inglês David Jones muda seu nome artístico para David Bowie para evitar confusões com o vocalista dos Monkees, Davy Jones. A inspiração para o novo sobrenome veio de uma faca norte-americana para matar ursos.

14/1/1967: O primeiro festival hippie

Mais de 25 mil pessoas estiveram no The Human Be-In-A Gathering Of The Tribes, do parque Golden Gate, em São Francisco, nos EUA, um dos primeiros festivais ao ar livre da era hippie, que reuniu alguma das melhores bandas da Califórnia na época: Grateful Dead, Jefferson Airplane, Quicksilver Messenger Service e Big Brother And The Holding Company, a banda de Janis Joplin.

14/1/1970: Adeus Diana

Diana Ross aparece pela última vez com o trio Supremes no Frontier Hotel, em Las Vegas, nos EUA. Durante o show ela apresentou sua substituta, Jean Terrell, que lideraria o grupo por mais alguns anos.

14/1/1977: A fase alemã

David Bowie lança "Low", o primeiro da fase alemã que deu origem a três discos gravados em parceria com o produtor Brian Eno. O álbum trazia uma sonoridade eletrônica completamente nova para o artista, especificamente no lado B do disco em vinil, em que as canções davam espaço para composições ambient.

14/1/1992: Punk de luto

O baterista do New York Dolls, Jerry Nolan, morre vítima de um derrame fatal aos 45 anos. Nolan já havia substituído o primeiro baterista da banda, Billy Murcia, que morreu asfixiado depois que o grupo tentou, sem saber como, salvá-lo de uma overdose de drogas quando fazia uma turnê pela Inglaterra, no início de sua carreira.

14/1/1996: 'Today is gonna be the day...'

O grupo Oasis chega ao topo da parada de discos inglesa com seu segundo álbum, "(What's The Story) Morning Glory", que passou 145 semanas entre os mais vendidos.

14/1/2007: Amy no topo

Amy Winehouse emplaca seu segundo álbum, "Back to Black", no topo da parada de discos mais vendidos da Inglaterra, atingindo um número total de 20 milhões de cópias. É o segundo álbum inglês mais vendido deste século, ficando atrás apenas de Adele.

Parabéns!

Os aniversariantes do dia 14 de janeiro incluem o guitarrista cego norte-americano Clarence Carter (1936), o cantor e compositor norte-americano Allen Toussaint (1938-2015), Patricia Morrison, dos Sisters Of Mercy (1963), o guitarrista Zakk Wylde (1967), o rapper L.L. Cool J (1968), o baterista do Nirvana e líder dos Foo Fighters Dave Grohl (1969) e o guitarrista do Kings of Leon Caleb Followill (1982).

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest