‘O Rei Leão’: a história de Solomon Linda, injustiçado autor da música que originou ‘The Lion Sleeps Tonight’
Inspiração

‘O Rei Leão’: a história de Solomon Linda, injustiçado autor da música que originou ‘The Lion Sleeps Tonight’

A cena é um clássico da Disney. Timão e Pumba vêm caminhando pela savana africana, sozinhos, um ao lado do outro, quando começam a cantarolar. "Esta noite aqui na selva quem dorme é o leão", canta o suricate enquanto o javali faz o contracanto. A música é uma versão de "The Lion Sleeps Tonight", como ficou conhecida a canção, que se popularizou nos EUA no começo dos anos 1950 pelo grupo de folk Weavers e, uma década depois, se tornou hit mundial na voz dos Tokens. O que pouca gente sabe é que a canção foi, na verdade, composta por um sul-africano chamado Solomon Linda, morto em 1962 sem ganhar qualquer tipo de reconhecimento por sua composição.

Nascido em 1909, na África do Sul, Solomon cresceu em uma família acostumada a cantar em casamentos. Nos anos 1930, o cantor deixou sua casa para tentar uma oportunidade em Joanesburgo. Depois de trabalhar em uma loja de móveis e em um hotel, Solomon acabou conseguindo um emprego em uma gravadora dona do único estúdio localizado na África subsaariana. Com a proximidade, Solomon conseguiu apresentar seu grupo, Evening Birds, a um executivo local. "Mbube", o verdadeiro nome de "The Lion Sleeps Tonight", surgiu de um dia de improviso do cantor, que cantava soprano no sexteto.

Solomon Linda: arte feita com base em uma foto do cantor africano / Foto: Reprodução
Solomon Linda: arte feita com base em uma foto do cantor africano / Foto: Reprodução

A faixa foi criada em 1939 com o título que, em zulu, quer dizer "leão". O nome também se refere a um tipo de canto característico de grupos vocais da África. A letra inicialmente tinha apenas algo como "Leão! Ha! Você é um leão!", e teria sido inspirada por um incidente da infância dos integrantes do grupo Evening Birds, quando leões andaram invadindo a fazenda onde o pai de um deles trabalhava. No terceiro take, Solomon improvisou a melodia que até hoje é famosa, que depois ganharia a letra "in the jungle/ the mighty jungle/ the lion sleeps tonight".

"Mbube" rapidamente se tornou um sucesso no país, mas Solomon acabou vendendo os direitos da faixa por irrisórios US$ 2 para o dono do estúdio. Mesmo depois do grupo se desfazer, Solomon continuou cantando a música que o fez famoso. Apesar do sucesso, Solomon morreu em 1962 em condições precárias.

O grupo Evening Birds, em sua primeira formação / Foto: Reprodução
O grupo Evening Birds, em sua primeira formação / Foto: Reprodução

Em 1949, dez anos mais tarde, a versão original de "Mbube" caiu nas mãos do pesquisador e músico americano Alan Lomax, que mostrou a faixa para o cantor e pesquisador folk Pete Seeger, do grupo The Weavers, que deu um novo título para a música, "Wimoweh", uma aproximação fonética do refrão cantado em zulu. A versão gravada pelo grupo estourou nos EUA nos anos 1950 e uma outra, registrada ao vivo no Carnegie Hall, em Nova York, em 1955, serviu de inspiração para o grupo The Tokens, que gravou a cover mais conhecida e lhe deu o título de "The Lion Sleeps Tonight", com letra em inglês de George David Weiss. Nos anos 1990, a música voltou a explodir após ser usada pela Disney em "O Rei Leão".

Pete Seeger, conhecido por sua militância como cantor de protesto, depois de saber que "Wimoweh" não era uma canção tradicional zulu, como inicialmente acreditavam ele e Alan Lomax, tentou reparar a injustiça. Enviou cerca de mil dólares para Solomon e pediu à editora que controlava os direitos das gravações dos Weavers para enviar todos os royalties para o sul-africano.

No episódio “O Rei Leão e o Músico Esquecido” (originalmente "The Lion's Share", "A Parte do Leão), da série "ReMastered", da Netflix, o jornalista sul-africano Rian Malan conta detalhes sobre os lucros envolvendo a faixa e as batalhas judiciais entre a família de Linda e a Walt Disney Company. Infelizmente, a editora que controlava a gravação de Pete Seeger nunca repassou os valores para Solomon Lindo — e Pete nunca conferiu se isso estava sendo feito.

O repórter, que escreveu um artigo sobre o caso no começo dos anos 2000 para a “Rolling Stone”, estima que apenas o uso da faixa no filme rendeu à companhia americana cerca de 15 milhões de dólares. Em 2004, a família de Solomon entrou com um processo contra a Disney cobrando os devidos royalties não pagos. Após anos de brigas judiciais, um acordo foi feito, embora os valores nunca tenham sido revelados.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest