Ouvir música afeta mudanças climáticas? Segundo pesquisadores, sim
Tecnologia

Ouvir música afeta mudanças climáticas? Segundo pesquisadores, sim

Publicidade

Poucas coisas são tão prazerosas quanto colocar aquela música que você gosta para tocar. Faz bem para o corpo, alma e coração, mas não para o meio ambiente. Pelo menos, é o que dizem dois pesquisadores da Universidade de Oslo, na Noruega, e de Glasgow, no Reino Unido. Na pesquisa intitulada "O custo da música", Kyle Devine e Matt Brennan explicam como o consumo massivo de música pode afetar as mudanças climáticas do planeta. 

LEIA MAIS: Música de Skrillex protege contra mosquitos? É o que a ciência descobriu em um novo estudo

VEJA TAMBÉM: National Geographic cria álbum a partir de sons de plástico retirados do oceano

Enquanto Matt estudou os efeitos econômicos da música, Kyle ficou responsável por avaliar o impacto negativo da indústria fonográfica na natureza. Ele analisou as mudanças no setor dos anos 1970 até o presente, ou seja, desde quando escutávamos canções em vinis, fitas cassete, CDs e, agora, plataformas de streaming

O custo oculto do consumo de música nos dias atuais é gigantesco

De acordo com seus estudos, graças ao consumo digital de música, a quantidade de plástico utilizada para confeccionar discos físicos caiu drasticamente nos EUA. "Naturalmente, você pode imaginar que isso é algo muito bom para o planeta. Mas não. Continuamos emitindo carbono, só que de outra maneira", explicou Kyle. E de que forma? Bem, ao armazenar e processar música na nuvem do celular, por exemplo, dependemos da energia elétrica de datacenters

Seja para produzir plástico, ou para transmitir arquivos usando eletricidade, estamos emitindo gases de efeito estufa na atmosfera. Sendo assim, o pesquisador comparou o impacto de consumo de música no presente e no passado utilizando esse parâmetro. Os principais anos avaliados por ele foram 1977, 1988, 2000 e 2016.

Em 1977, o consumo musical emitia cerca de 140 milhões de quilogramas de gases de efeito estufa. Em 2016, esse número subiu para algo entre 200 milhões de 350 milhões de quilogramas. "Fiquei muito surpreso com o resultado", afirmou Kyle para a "Science Nordic". "O custo oculto do consumo de música nos dias atuais é gigantesco". 

Apesar de o estudo extremamente negativo, Kyle e Matt dizem que não querem que as pessoas parem de escutar música. Pelo contrário. "Desejamos que cada um fique mais atento com seus hábitos a partir de agora. Escolham músicas com mais critério e pensem em novas maneiras de consumir seus artistas favoritos", declararam.

Já pensou quanto energia elétrica gasta um datacenter?/Franck V./Unsplash
Já pensou quanto energia elétrica gasta um datacenter?/Franck V./Unsplash

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest