Palco de shows históricos de Amy Winehouse, Prince e Madonna, Koko é salva de incêndio em Londres
Entretenimento

Palco de shows históricos de Amy Winehouse, Prince e Madonna, Koko é salva de incêndio em Londres

De Monty Python a Madonna, de Amy Winehouse a Prince, o palco da Koko já recebeu de tudo. O belo prédio em Camden Town, em Londres, pegou fogo na segunda-feira (6/1). Felizmente, a brigada de incêndio conseguiu controlar as chamas à noite.

Koko, que estava fechada desde o ano passado para reformas e tinha reinauguração prevista para abril, era um dos maiores teatros fora do West End de Londres quando foi inaugurado como Camden Theatre em 26 de dezembro de 1900. Desde então, trocou de nome várias vezes até que 2004 virou Koko.

A Koko, famosa casa de shows em Camden Town,  pegou fogo nessa segunda (6/1). Foto: Getty Images
A Koko, famosa casa de shows em Camden Town, pegou fogo nessa segunda (6/1). Foto: Getty Images

A beleza do prédio, que mantém muitas das características originais, é um dos grandes atrativos para artistas e público, de acordo com Jonathan Simpson. Em 1990, com 16 anos, ele assistiu Blur, seu primeiro show. "Acho que ninguém que passou por aquelas portas e desceu as escadas para o auditório esquece", diz Simpson, que é membro do gabinete do Conselho de Camden para a promoção da cultura.

A ameaça do incêndio causou grande comoção, pois o local desperta muitas lembranças musicais e pessoais. A jornalista da BBC Jennifer Scott diz que o local foi muito importante em sua vida. Em 2018, ela assistiu Powerwolf , o primeiro show com o namorado. "Passamos a maior parte do show escondidos em uma das varandas conversando", lembra ela. "Nesses dois dois shows, e Deus sabe quantos outros eu já fui lá, era difícil manter os olhos no palco por causa da beleza do prédio", conta, lembrando que o local é um verdadeiro labirinto, com muitos níveis e escadarias secretas. "Parecia encontrar uma nova parte a cada vez que ia lá. Um lugar exuberante, todo coberto de veludo vermelho, uma atração tanto quanto quem estava no palco", descreve.

O interior da Koko, com seus detalhes em veludo vermelho e com características originais preservadas. Foto: Getty Images
O interior da Koko, com seus detalhes em veludo vermelho e com características originais preservadas. Foto: Getty Images

Em 1983, o teatro foi o primeiro local do Reino Unido a sediar um show de Madonna, que voltou em 2005 para lançar seu décimo álbum, "Confessions on a Dance Floor".

Madonna lançou seu "Confessions On A Dancefloor" na Koko, em 2005. Foto: Getty Images
Madonna lançou seu "Confessions On A Dancefloor" na Koko, em 2005. Foto: Getty Images

Prince também escolheu se apresentar lá em 2014, já tendo tocado anteriormente em 1988 e 2007. Simpson foi um dos muitos que ficaram na fila por horas para participar do show. "Ele poderia tranquilamente ter esgotado Wembley, mas escolheu tocar na Koko, o que dá ideia do que o lugar representa", conta o fã.

Prince no show que fez na Koko em 2007. Foto: Getty Images
Prince no show que fez na Koko em 2007. Foto: Getty Images

A BBC dirigiu o teatro de 1945 até a década de 1970, quando vários de seus programas foram gravados lá, incluindo um álbum do "Flying Circus", do Monty Python, e uma reunião do "Goon Show".

O escritor Neil Gaiman publicou em seu Twitter que foi nos bastidores do Koko que se apaixonou por sua mulher, a cantora Amanda Palmer e que se lembra com carinho de uma apresentação de Lou Reed no local.

Marc Rister ressalta como o teatro oferece "vibrações diferentes", dependendo do lugar onde você esteja — o andar de baixo é "muito íntimo" e o andar de cima é maior, dando o "melhor dos dois mundos". Ele foi lá pela primeira vez em 2017 para ver o rapper MoStack. "Foi honestamente a melhor noite da minha vida. Foi uma pena enorme esse incêndio. Seria muito triste se ele tivesse desaparecido para sempre", diz, triste.

Um dos primeiros shows de Jules Pearson em Londres foi o da banda indie Wild Beasts -—um programa que deu "arrepios" à co-fundadora do site "London on the Inside". Ela se tornou frequentadora da série Club NME, que eram noites "superestridentes", realizada no local às sextas. "Você conhecia alguns personagens incríveis. Amy Winehouse, Pete Doherty, Jameel Jamil e muitas outras bandas e artistas independentes tocavem ou estavam na plateia", lembra, dizendo que eram shows onde se "dançava a noite toda, bebendo cerveja e colecionando histórias para contar. Puxa, se essas paredes pudessem falar".

Amy, aliás, ganhou um impulso em sua carreira depois do show que fez em 2006 na Koko. A cantora chegou a dizer que gostaria de fazer uma residência na casa, que fica na área em que foi revelada — há uma estátua em sua homenagem nas imediações. Camden Town, afinal, está perpetuamente associado como "o bairro da Amy".

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest