Para gravar o som de um Stradivarius, uma cidade inteira na Itália fez 'voto de silêncio'
Tecnologia

Para gravar o som de um Stradivarius, uma cidade inteira na Itália fez 'voto de silêncio'

0

Publicidade

O nome Stradivarius é conhecido até por quem entende pouco de música. A palavra deriva do sobrenome Stradivari, da família italiana que construiu alguns dos exemplares de violinos, violas, violoncelos e outros instrumentos de corda entre os mais admirados (e valiosos) do mundo. O som de um Stradivarius faz com que os instrumentos da "marca" sejam considerados únicos e inigualáveis mesmo hoje, com toda tecnologia do século XXI disponível. Atualmente, há apenas 650 exemplares pelo mundo — e alguns deles chegam a valer US$ 45 milhõs. 

LEIA MAIS: Museu recria som do fim da Primeira Guerra Mundial

ONLINE E GRÁTIS: Confira o diário pessoal de Mozart com composições escritas à mão

Das mãos de Antonio Stradivari, entre os séculos XVII e XVIII, saiu a maioria dos exemplares. Muitos deles estão hoje guardados no Museo del Violino, na cidade italiana de Cremona. Por conta disso, o município todo se dedica à audaciosa missão de digitalizar o som desses instrumentos no mais profundo silêncio. A missão parece difícil, mas Cremona tem se dedicado.

Com autorização da prefeitura, a área ao redor do auditório do museu, onde as gravações acontecem, foi interditada por cinco semanas para que nenhum som exterior provocasse ruídos que pudessem interferir na performance. A vibração provocada por um simples salto alto poderia atrasar o projeto, que visa preservar a memória sonora destes instrumentos.

No vídeo abaixo, é possível ouvir o som de uma viola feita pela família Stradivari: 

Se hoje poucas pessoas no mundo puderam ouvir o som de um verdadeiro Stradivarius ao vivo, esse número será ainda menor no futuro. Por conta de sua natureza e idade, com o passar dos anos, os instrumentos da família Stradivari tendem a perder a capacidade de serem tocados. Para o futuro, quando o último exemplar for "colocado para dormir", seu som ainda será possível de ser ouvido, graças aos esforços dos cidadãos de Cremona. 

Com informações do "New York Times".

Publicidade

Background

Relacionados

Canais Especiais