Red Hot Chili Peppers: a história de uma camisa do John Frusciante passada de pai para filha
Rock in Rio 2019

Red Hot Chili Peppers: a história de uma camisa do John Frusciante passada de pai para filha

A tarefa impossível do quarto dia de Rock in Rio era apenas uma: andar pela Cidade do Rock sem encontrar alguém com uma camisa do Red Hot Chili Peppers. O asterisco de oito pontas estava por todos os lados, em versões com fundo preto ou branco, na maioria das vezes. Mas poucas dessas blusas devem ter a história daquela usada pela professora Marcelli Arero, de 30 anos, fã da banda de Anthony Kiedis. A blusa foi comprada pelo pai, seu Ernesto, durante uma viagem aos EUA no começo dos anos 1990 e já rodou mais de dez shows do grupo — seja com a dona ou com amigos dela.

“Para os amigos de confiança, eu empresto, mas não é para todo mundo”, conta a fã, que chegou muito cedo à Cidade do Rock para aproveitar o show da grade. Ela trouxe a sobrinha para assistir à performance do Panic! At The Disco e aproveitou para relembrar os tempos em que madrugava na fila pelos californianos. “Em 2011, eu dormi na fila. Nós acampamos lá fora e conseguimos ficar na grade. Naquela época a blusa não cabia em mim, então ela foi pendurada nas costas. Dessa vez ela está comigo mesmo”, diz, exibindo a peça.

Marcelli usa a camisa em todos os shows, mas só empresta para amigos muito próximos / Foto: Reverb
Marcelli usa a camisa em todos os shows, mas só empresta para amigos muito próximos / Foto: Reverb

O que faz da camisa um objeto tão especial, além, é óbvio, do Red Hot em si, é a presença do guitarrista John Frusciante na foto. “Essa camisa foi no auge deles, quando eles lançaram ‘Mother’s Milk’ (1989) e, depois, o ‘Blood Sugar Sex Magik’ (1991)”, explica Marcelli. O músico deixou o grupo em 1992 e só retornou seis anos depois, em 1998, para ficar até 2009.

Quem é fã mesmo, reconhece o valor da peça de roupa, que até já “abraçou” Anthony Kiedis e Flea.

"Em 2011, eu fiquei esperando eles no hotel. O Anthony me atendeu pelo apelido. Ele não estava atendendo ninguém e me atendeu quando eu o chamei pelo apelido. E eu estava com essa camisa lá."

Depois de postar uma foto na Cidade do Rock nesta quinta-feira, Marcelli ouviu uma pergunta debochada dos amigos: "Você não desiste dessa camisa? Ela está com você em todos os lugares!'" Eu respondi que sim e que vai continuar porque eu não tiro. Para as pessoas de confiança eu empresto, mas ela sempre volta para mim."

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest