Red Hot Chili Peppers: o guitarrista fundamental que fez a banda ser o que é
Entretenimento

Red Hot Chili Peppers: o guitarrista fundamental que fez a banda ser o que é

O Red Hot Chili Peppers anunciou nesse domingo (15/12) a volta do guitarrista John Frusciante, causando um grande burburinho entre os fãs ao redor do mundo. O músico retorna para substituir Josh Klinghoffer, que entrou há 10 anos justamente para ficar no lugar de Frusciante, que saía da banda pela segunda vez. Deixando meio de lado esse vai-e-vem, vale lembrar da história de outro músico do Red Hot, Hillel Slovak, guitarrista original e importantíssimo para a formação da identidade sonora do grupo como conhecemos.

Há três décadas, Hillel Slovak morreu de overdose de cocaína aos 26 anos. Mesmo depois de tanto tempo, ainda hoje sua influência reverbera na banda. Em 2012, na cerimônia do Rock and Roll Hall of Fame, Anthony Kiedis, vocalista da banda, referiu-se a ele como "coração e alma" e "arquiteto" do Chili Peppers.

Lendas do rock: Flea, Hillel, Jack Irons e Anthony Kiedis em foto tirada em 1988, na Bélgica / Foto: Getty Images
Lendas do rock: Flea, Hillel, Jack Irons e Anthony Kiedis em foto tirada em 1988, na Bélgica / Foto: Getty Images

Os membros originais Kiedis, Slovak, Flea e Jack Irons se conheceram na Fairfax High School, em Los Angeles, embora alguns já tivessem se encontrado antes. Slovak e Kiedis logo se tornariam amigos. A primeira apresentação dos dois juntos foi em fevereiro de 1983, no Rhythm Lounge, um clube de Los Angeles com lotação por volta de 30 pessoas. Em outubro, já assinavam contrato com uma gravadora, mas, como Hillel e Irons estavam ligados a outra banda, acabaram se separando.

O guitarrista israelense se concentrou em seu projeto com a What is This?, mas não tardou a voltar ao Chili Peppers. Dois anos depois, gravava ao lado dos companheiros o álbum "Freaky Styley". "Quando Hillel voltou à banda, em 1985, foi uma sensação monumental, como se tivéssemos voltado ao caminho certo. Finalmente tínhamos um guitarrista que sabia quais canções davam certo para nós e quais eu podia cantar", elogia Kieds em sua biografia “Scar Tissue”.

“Freaky Styley” foi produzido por George Clinton e gravado principalmente em Detroit. O grupo consumiu toneladas de cocaína durante a produção e gravação do álbum.

Em 1987, a banda gravou “The Uplift Mofo Party Plan” em Los Angeles, no Capitol Record Building. “Foi tão divertido. Estou muito orgulhoso do trabalho de todos, é genial”, escreveu Slovak em seu diário, que foi lançado em livro após sua morte. Várias músicas do álbum são sobre ele, incluindo “Skinny Sweaty Man”.

O período desses dois discos foi muito conturbado tanto para Hillel quanto Kiedis, pois ambos eram dependentes químicos, em especial de heroína. Só que, enquanto o vocalista não escondia seu vício — desaparecia por dias, fazia escândalos, penhorava bens e vivia entrando e saindo de clínicas de reabilitação —, o guitarrista era mais “discreto”, o que não significava que ele pegava mais leve que o amigo nas drogas. Sua morte foi chocante e surpreendente. “Certa vez levei Hillel a uma reunião, mas ele detestou admitir que tinha um problema, que alguém poderia ajudá-lo e que era tímido diante de pessoas”, relata Kiedis.

Durante a turnê para promover “The Uplift Mofo Party Plan”, Slovak estava lutando com seu próprio vício em heroína, e ficou fora de alguns shows na Europa. O vídeo abaixo é uma compilação de cenas de Slovak de “Europe by Storm”, documentário de 1988. Quando perguntado sobre a irreverência da banda, ele diz: “Isso significa espontaneidade. Muito da anarquia que fazemos é resultado da energia que a turnê proporciona. Às vezes, um tipo de energia estranha e misteriosa”.

Slovak fez seu último show com a banda em 4 de junho de 1988, na Finlândia. A música final foi Fire , de Jimi Hendrix. O cover, que foi ensaiado no início de carreira por sugestão do próprio Slovak, é uma das faixas do disco “Mother's Milk” , de 1989. O primeiro single, “Knock Me Down” , foi lançado em memória do guitarrista. “My Lovely Man”, do álbum “Blood Sugar Sex Magik”; “Feasting On The Flowers”, de “The Getaway”; “Otherside”, de “Californication”; e “Open/Close”, de “Hanalei / Open/Close” também foram dedicadas a Hillel.

Hillel Slovak durante show do Red Hot Chili Peppers em Munique, na Alemanha, em 1988 / Foto: Getty Images
Hillel Slovak durante show do Red Hot Chili Peppers em Munique, na Alemanha, em 1988 / Foto: Getty Images

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest