Rihanna, poderosa, workaholic e impaciente: 'A vida é realmente curta'
Entretenimento

Rihanna, poderosa, workaholic e impaciente: 'A vida é realmente curta'

Rihanna não tem tempo para dormir. Na verdade, ela diz que não tem paciência para uma noite inteira de bom sono — algo que faria a alegria de 90 % dos mortais. Também não tem paciência para escolher o que comer. Diante de um cardápio com mil opções, dá de ombros e pega um saco de pretzels. Na verdade, ela não tem paciência, ponto. “Desde que completei 32 anos, percebi que a vida é realmente curta. Ninguém tem tempo pra tolerar besteiras, sabe como é?”

O questionamento foi dirigido à repórter da edição britânica da revista “Vogue”, que traz a cantora nascida em Barbados na capa do mês de maio — usando uma bandana durag, acessório adequado para quem usa dreadlocks e tranças afro, o que foi saudado em círculos fashionistas como revolucionário. A jornalista virou a noite na companhia de Rihanna em Londres, e a conversa passeou pelo vasto universo particular da cantora: seu próximo álbum, suas linhas de alta costura e cosméticos, o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, racismo e que tipo de vida ela espera ter daqui a dez anos. Confira os “greatest hits” da conversa com a cantora que diz não ter muita paciência... mas que topou ser entrevistada de meia-noite ao amanhecer.

1) Ritmo 'agressivo' de trabalho no novo disco

“Não dá pra anunciar uma data de lançamento agora”, afirma Rihanna. “Mas tenho trabalhado agressivamente no álbum”, ela garante. O projeto também ainda não tem título definido, apenas um “apelido”: “R9”, pois é o nono título de sua carreira. “Não quero que meus álbuns sigam um tema definido. Não existem regras, não há um formato. Só o que existe é música boa, e se me agradar, eu vou lançar.” Por enquanto, os fãs têm que se contentar com sua (pequena) participação em "Believe It", single do rapper canadense Partynextdoor lançado dia 26/3.

2) Primeira negra no comando de uma griffe international de luxo

Rihanna lançou em 2019 seu próprio atelier de alta costura, a Fenty Maison. É a primeira grife internacional de luxo a ser comandada por uma mulher negra. Ela também tem uma fábrica de lingeries, Savage X Fenty. E a cantora também não tem paciência com os prazos impostos pela indústria da moda de luxo. “É muito fácil desenhar peças para um desfile e só lançar as roupas nas lojas seis meses depois. Eu quero criar roupas que sejam imediatamente acessíveis no mercado. É muito mais desafiador”, conta Rihanna.

Rihanna na capa da edição inglesa da revista "Vogue" . Foto: Reproduçãoão site
Rihanna na capa da edição inglesa da revista "Vogue" . Foto: Reproduçãoão site

3) 'Invisível' e à vontade em Londres

“Adoro viver e trabalhar aqui”, afirma ela sobre a capital do Reino Unido. Quando sai à noite, prefere frequentar os lugares que recebem a nata da sociedade londrina. “Eles são tão chiques, que não ligam a mínima pra mim. É como se eu fosse invisível. Eu preferiria ir a Brixton, a um restaurante jamaicano qualquer”, relata Rihanna, falando do bairro boêmio favorito de Amy Winehouse. “Mas não posso. O jantar iria se transformar em um evento público”, lamenta.

Rihanna no The Fashion Awards no Royal Albert Hall em Londres. Foto: Getty Images
Rihanna no The Fashion Awards no Royal Albert Hall em Londres. Foto: Getty Images

4) Novas perspectivas sobre racismo

“Desde que passei a morar em Londres, comecei a ter uma outra perspectiva sobre esses temas”, reflete. “A violência policial contra negros e imigrantes é brutal nos Estados Unidos, mas o racismo está em toda a parte.” Rihanna, nascida em Barbados e filha de uma imigrante da Guiana, lembra de cenas chocantes que testemunhou na infância. “Não aconteceu com minha família, mas eu sei o que é ter oficiais da imigração batendo na porta de madrugada e arrastando pessoas para fora, para serem deportadas. Se tivesse acontecido comigo, seria devastador”, imagina.

Rihanna, a mãe Monica Braithwaite e sua pequena prima Majesty . Foto: Getty Images
Rihanna, a mãe Monica Braithwaite e sua pequena prima Majesty . Foto: Getty Images

5) 'Workaholic' e orgulhosa disso

Levando a sério a letra de seu grande hit “Work”, Rihanna diz que simplesmente não consegue distinguir o trabalho de sua vida pessoal. “Não existe um equilíbrio entre os dois lados, pois eles são uma coisa só.”, admite. Ela vive acompanhada de uma pequena equipe (100% feminina) de assistentes que precisa aguentar seu pique. “A gente trabalha, trabalha e trabalha. Aí chega uma hora em que damos uma parada e eu digo: OK, podemos ir dormir, ou podemos continuar trabalhando. Todo mundo toma um café, botamos uma música pra tocar e prosseguimos.”

6) Quer ser mãe de três ou quatro filhos... Mas não agora

“Daqui a um tempo, sei que quero estar levando uma vida diferente”, afirma. “Daqui a dez anos, quero estar criando meus filhos – três ou quatro. E se eu não encontrar a pessoa certa, não vejo problema em ser mãe por conta própria. A sociedade tende a menosprezar as mães que criam seus filhos sem um pai por perto. Mas a única coisa que importa é a felicidade. É o único modo de existir uma relação saudável entre pais e filhos.”

Rihanna recebeu o Harvard Humanitarian of the Year Award da Harvard Foundation em 2017. Foto: Getty Images
Rihanna recebeu o Harvard Humanitarian of the Year Award da Harvard Foundation em 2017. Foto: Getty Images

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest