Robert Fripp, do King Crimson, entra em litígio com herdeiros de David Bowie
Entretenimento

Robert Fripp, do King Crimson, entra em litígio com herdeiros de David Bowie

David Bowie (1947-2016) foi um colaborador nato, e isso era parte de sua genialidade. Durante toda sua carreira, ele mostrou ter o faro para escolher com quem trabalhar nos momentos certos. Isso foi fundamental para ajudá-lo a talhar suas músicas e discos de sucesso. Agora, um desses colaboradores anunciou que está em disputa com os herdeiros do cantor e a PPL, uma entidade que cuida de direitos autorais no Reino Unido, por conta de créditos nos álbuns "Heroes" (1977) e "Scary Monsters" (1980).

Robert Fripp, 73 anos, o guitarrista do King Crimson — banda que vem ao Rock in Rio para tocar no palco Sunset em 6 de outubro, teve colaboração importantíssima no som de assinatura desses dois álbuns "Heroes".

O produtor Brian Eno — colaborador de longa-data de Bowie —, 71 anos, foi o responsável por convidar Robert para as gravações de "Heroes". Juntos, eles já haviam feito o disco "Evening Star", de 1975, que influenciou o som de David Bowie na época. Robert deu muitos pitacos para incrementar a sonoridade final do segundo disco da chamada "Trilogia de Berlim".

Já em "Scary Monsters", que não foi produzido por Brian, o convite a Robert foi feito pelo próprio Bowie. O guitarrista tocou em seis das dez faixas do álbum — incluindo "Fashion", a faixa-título e "Up The Hill Backwards".

Por sua influência nestes trabalhos, que ultrapassa a de um "simples músico de estúdio", Robert está brigando na Justiça para que ele receba os créditos de "featured player". Em uma publicação no Facebook, o músico escreveu que Brian e Tony Visconti (produtor de "Scary Monsters") Bowie concordaram que ele deveria ser creditado como um feat. em ambos os trabalhos de estúdio. O próprio Bowie, acredita Robert Fripp, concordaria com isso. A prática, porém, não era usual naquela época.

Robert Fripp, Brian Eno e David Bowie posam em um estúdio em Berlim, na Alemanha, onde gravaram 'Heroes', em 1977/Getty Images
Robert Fripp, Brian Eno e David Bowie posam em um estúdio em Berlim, na Alemanha, onde gravaram 'Heroes', em 1977/Getty Images

Tony Visconti foi contundente na defesa do guitarrista. "Como produtor destes discos, posso garantir que Mr. Fripp não tocou o que lhe 'disseram' para tocar. Nós lhe pedimos para inventar novas partes, de um jeito que nunca poderíamos imaginar. 'Featured Artist' e 'Featured Player' são termos que foram inventados nos anos 1990 por gravadoras. Mas isso pode se aplicar a toda a história da música gravada anteriormente, desde o tempo de Thomas Edison."

Tony salientou ainda a importância de Robert Fripp para a canção "Heroes", uma das mais importantes da carreira de Bowie:

A costura e as notas prolongadas de Fripp em torno dos vocais de Bowie na icônica canção provam que sua contramelodia são uma contribuição enorme para a música. Sem sua invenção, 'Heroes' seria uma sombra do que é. O mesmo se aplica a todas as faixas em que ele toca, são como um dueto com Mr. Bowie. Pergunte a qualquer fã de Bowie e vão lhe dizer a mesma coisa

Nem a família de Bowie ou a PPL responderam sobre o caso até o momento.

Falando em "Heroes", que completa 42 anos em 2019, a faixa-título do disco ganhou um clipe inédito, com imagens nunca vistas do cantor, publicado nesta segunda-feira (23). Assista-o abaixo.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest