Rock & Roll Hall of Fame: as 12 melhores apresentações da cerimônia de introdução
Entretenimento

Rock & Roll Hall of Fame: as 12 melhores apresentações da cerimônia de introdução

Todos os anos, na cerimônia de introdução ao Rock & Roll Hall of Fame (o Hall da Fama do Rock & Roll), sempre há risos, lágrimas, algo profano e algumas escolhas de figurino interessantes. Ah, claro, também há (muita) música!

É um hall da fama de música, afinal de contas. Não faria sentido se alguém não pegasse seus instrumentos em algum momento e fizesse aquilo que o levou até aquele palco. E é isso que vem acontecendo nas cerimônias do Rock Hall desde 1986, de improvisações surpreendentes até performances roteirizadas e sofisticadas. Já aconteceram mais apresentações do que é possível contar.

Mas, com uma nova cerimônia se aproximando no próximo dia 29 de março, em Nova York, escolhemos os 12 melhores momentos musicais que já rolaram naquele palco.

Nina Simone, 2018

Nina Simone entrou para o Hall da Fama somente em 2018, e foi responsabilidade de Lauryn Hill, Andra Day e The Roots demonstrar, musicalmente, por que ela merecia tal honra. Eles cumpriram a tarefa de forma admirável em Cleveland. Os artistas deram a Simone, falecida em 2003, a devida homenagem, com releituras de “Ne Me Quitte Pas”, “Black is the Color of My True Love’s Hair” e um medley de “Ain’t Got No”, “I Got Life” e “Feeling Good”, deixando o público emocionado.

Red Hot Chili Peppers, 2012

Se vai ter apresentação dos Red Hot Chili Peppers, a gente sabe que a coisa vai ser boa. Mas o grupo realmente se superou quando foi introduzido no Hall of Fame. Depois de algumas canções do line-up da época, os ex-bateristas do grupo, Cliff Martinez e Jack Irons, subiram ao palco com os outros participantes da noite, incluindo George Clinton, Slash, Ronnie Wood, dos Rolling Stones, e Billie Joe Armstrong, do Green Day, para terminar o show com uma cover de “Higher Ground”, de Stevie Wonder. Épico.

Billy Joel e Paul McCartney, 1999

A cerimônia de 1999, que introduziu Billy Joel, Bruce Springsteen e Paul McCartney (como artista solo) e outros ao Hall da Fama do Rock parecia ter terminado quando os artistas fizeram uma versão de “Blue Suede Shoes”, clássico de Elvis Presley. Foi quando Joel sentou ao piano e tocou os acordes iniciais de “Let it Be”. McCartney logo voltou ao palco e se juntou ao colega na performance surpresa.

Jeff Beck, 2009

Você pode ter certeza que vai ver um ótimo show quando os ex-colegas de Yardbirds Jimmy Page e Jeff Beck estão no mesmo lugar, especialmente se esse lugar for um palco. Eles estavam juntos em 2009 quando Beck foi homenageado como artista solo. A apresentação foi doce e acolhedora, e depois eletrizante, quando ambos tocaram “Immigrant Song”, do Led Zeppelin, e, mais tarde, se juntaram ao Metallica, Ronnie Wood, dos Rolling Stones, Joe Perry, do Aerosmith, Flea, dos Red Hot Chili Peppers, e outros para arrasar com “Train Kept A-Rolling”.

Mike Love, dos Beach Boys, 1988

Muitos discursos emocionantes aconteceram no palco do Rock Hall no decorrer dos anos, de Jeff Beck a Blondie. Mas o Beach Boy Mike Love inspirado pela presença do pugilista Muhammed Ali na plateia foi além. Falando num ritmo acelerado, ele chegou a desafiar George Harrison e Ringo Starr para uma batalha de bandas, além de outras declarações. Bob Dylan agradeceu Love por não mencioná-lo, mas esse discurso ficou tão marcado na história do Rock Hall que, talvez, ele tenha se arrependido.

Green Day, 2002

Joey Ramone havia falecido no ano anterior e Johnny Ramone não estava se sentindo bem na hora do número em grupo. Então, como apresentar o legado dos Ramones para o rock? Coube ao Green Day pegar a responsabilidade para si, e Billie Joe Armstrong e companhia fizeram jus. Eles tocaram “Teenage Lobotomy”, “Rockaway Beach” e “Blitzkrieg Bop” e arrasaram. O titular não estava, claro, mas os substitutos fizeram um ótimo trabalho.

Ringo Starr, 2015

Houve um grande sentimento de justiça quando Ringo Starr se tornou o último beatle a entrar para o Hall da Fama como artista solo. O discurso de Paul McCartney foi caloroso e amável, e o amor foi partilhado em um set de canções com o Green Day se apresentando junto com Ringo em “Boy”, Joe Walsh se unindo a ele para “It Don’t Come Easy” e todos no palco para terminar a noite com “I Wanna Be Your Man” e, claro, “With a Little Help from my Friends”.

U2, 2005

Depois que Bono fez as honras recebendo Bruce Springsteen no Rock Hall, seis anos depois, foi a vez de o cantor de Nova Jersey retribuir o favor para o U2. O quarteto irlandês foi ao palco para apresentar “Until the End of the World”, “Vertigo” e “Pride (In the Name of Love)”, mas foi quando Springsteen subiu no palco para participar de “I Still Haven’t Found What I’m Looking For” que todos na plateia se arrepiaram. Foi uma das participações especiais mais impactantes de todos os tempos no Hall da Fama do Rock & Roll.

Led Zeppelin, 1995

Houve um princípio de climão quando o Led Zeppelin chegou ao Rock Hall. Jimmy Page e Robert Plant tinham acabado de voltar a trabalhar juntos, sem o baixista John Paul Jones. Em seu discurso, Jones agradeceu aos dois por lembrarem de seu número de telefone para convidá-lo para o show. Mas, na hora de se apresentar, com a participação de Steven Tyler e Joe Perry, do Aerosmith, e Neil Young, o público foi à loucura com canções como “Bring it on Home”, “Train Kept A-Rolling” e “Stairway to Heaven”.

Madonna, 2008

A rainha do pop escolheu não se apresentar na noite de sua introdução ao Rock Hall, mas Iggy Pop e os membros dos Stooges assumiram seu lugar. Versões lendárias de “Burning Up” e “Ray of Light” com um toque de punk foram uma homenagem mais do que justa para Madonna.

George Harrison, 2004

A homenagem póstuma a George Harrison levou ao palco Tom Petty, Jeff Lynne e Dhani Harrison, filho do guitarrista dos Beatles, para um doce cover de “Handle with Care”. Prince, então, subiu ao palco para incendiar com a apresentação de “While my Huitar Gently Weeps”, que foi tão poderosa que muitos acreditam que ofuscou a homenagem ao próprio Prince, que também entrou no Hall da Fama naquela noite.

Nirvana, 2014

O que você faz duas décadas depois da morte de seu icônico vocalista? Os membros restantes do Nirvana encararam o desafio e convidaram quatro mulheres para se apresentar cantando quatro canções da banda. Joan Jett ficou com “Smells Like Teen Spirit”, Kim Gordon com “Aneurysm”, St. Vincent com “Lithium” e Lorde com “All Apologies”. As performances não apenas homenagearam o cantor como adicionaram novas camadas aos sucessos.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest