‘Rocketman’: o que esperar do filme sobre Elton John
Entretenimento

‘Rocketman’: o que esperar do filme sobre Elton John

Publicidade

Depois daquilo que pareceu um “longo, longo” tempo, falta pouco para “Rocketman” estrear. A cinebiografia sobre a vida de Elton John chega ao Brasil no dia 30 de maio e promete dar aos fãs do cantor britânico um bom passeio pela trajetória do astro. Dirigido por Dexter Fletcher, o longa traz Taron Egerton no papel principal e Jamie Bell como Bernie Taupin, compositor responsável por dezenas de hits de Elton.

LEIA MAIS: Freddie Mercury, Elton John e Rod Stewart já tentaram formar um supergrupo

'ROCKETMAN': Taron Egerton canta de verdade em filme sobre Elton John; ouça

O Reverb foi convidado para assistir a uma exibição especial de trechos do filme e aqui vai um relato sobre o que podemos esperar de “Rocketman”.

'ROCKETMAN' É UM MUSICAL

Diferentemente do que vimos com "Bohemian Rhapsody", filme sobre o Queen, "Rocketman" não é apenas um filme sobre Elton John. O longa de Dexter Fletcher (que, aliás, assumiu a direção de "Bohemian Rhapsody" quando Bryan Singer foi demitido) é um musical. Em algumas cenas, Taron Egerton aparece até mesmo ladeado por dançarinos em movimentos coreografados típicos de filmes do gênero e há diálogos que se convertem em músicas — outra característica típica de projetos do tipo. 

'Rocketman': Taron Egerton vive Elton John em cinebiografia / Foto: Divulgação
'Rocketman': Taron Egerton vive Elton John em cinebiografia / Foto: Divulgação

A VOZ DE TARON

Não é a aparência ou a performance corporal de Taron que impressionam. O que chama atenção no filme é a voz do ator britânico. O próprio Elton já havia dito que ninguém nunca interpretou suas músicas como o ator de "Kingsman" e quem somos nós para dizer que não. Taron faz soa como Elton em todas as faixas. 

ENTRE TAPAS E BEIJOS COM BERNIE TAUPIN

Bernie Taupin é o grande coadjuvante do filme. A amizade entre o compositor e Elton e a relação profissional dos dois guia parte do roteiro. A parceria entre eles fica evidente, assim como suas desavenças. Em uma das cenas, Bernie deixa Elton falando sozinho em um restaurante após uma discussão (e Elton vai atrás dele, aos berros na rua e sem pagar a conta do restaurante). 

REGIE X ELTON

Como muitas personalidades, o filme mostra que Elton, ao menos no começo da carreira, se dividia entre duas personas. A primeira, Reginald, seu nome de batismo, a pessoa que ele era fora dos palcos. Para o grande público — e para repercutir sua arte — ele era Elton John, com todo brilho, plumas e paetês que lhes eram peculiares.

Figurinos coloridos e brilhosos de Elton John ganham destaque no filme / Foto: Divulgação
Figurinos coloridos e brilhosos de Elton John ganham destaque no filme / Foto: Divulgação

AS VIAGENS DE ELTON

O histórico de vício em drogas de Elton John não fica de fora do filme. Uma cena em particular mostra uma discussão do cantor com John Reid, empresário da música interpretado por Richard Madden, de "Game of Thrones". Durante a briga, o produtor musical alerta Elton sobre o uso de entorpecentes: "Se você morrer eu ainda recebo 20% do valor do contrato". 

Em outros momentos, o filme usa de recursos narrativos para ilustrar as viagens de Elton, como em uma cena em que o cantor aparece tocando em um piano submerso.

A mesma linguagem psicodélica também é usada durante o primeiro show de Elton John nos EUA, no Troubadour, em Los Angeles. Ao deixar a plateia em êxtase com "Crocodile Rock", tanto Elton quanto os espectadores aparecem literalmente levitando.

Elton aparece levitando em cena que reproduz performance no Troubadour /Foto: Divulgação
Elton aparece levitando em cena que reproduz performance no Troubadour /Foto: Divulgação

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest