Roger Daltrey, do Who, lembra altos e baixos de Woodstock: 'a natureza humana', para além do 'paz e amor'
Entretenimento

Roger Daltrey, do Who, lembra altos e baixos de Woodstock: 'a natureza humana', para além do 'paz e amor'

A estrada solitária que levava ao festival Woodstock estava congestionada com o tráfego, então os caras do Who precisaram sair cedo do hotel para chegarem lá a tempo do show que seria realizado na noite de sábado, 16 de agosto de 1969. Quando a banda finalmente chegou ao evento, ouviram estranhos boatos de que os artistas não estavam sendo pagos. Além do mais, ficaram sabendo que a organização do festival parou de aceitar os ingressos das milhares de pessoas que chegavam por lá — a maioria, sem o bilhete de entrada no bolso.

Com tantos problemas, o Who se recusou a se apresentar até receber o cachê, o que não foi possível, já que todos os bancos próximos havia sido emergencialmente fechados. Enquanto os organizadores tentavam encontrar uma maneira de arranjar a grana, os integrantes do grupo foram atrás de problemas — como eles costumavam fazer.

O baterista Keith Moon e o baixista John Entwistle tomaram um ácido e foram parar dentro de um vagão cheio de mulheres. O guitarrista e compositor Pete Townshend descobriu que o café que estava tomando no backstage estava cheio de ácido. Aconteceu a mesma coisa com o vocalista Roger Daltrey, que parou de beber sua garrafa de uísque para tomar um chá que estava para lá de adulterado.

Essas são algumas das lembranças de Roger, que concedeu uma entrevista sobre o Woodstock ao "New York Times".

The Who se apresentando no Woodstock em 1969/Getty Images
The Who se apresentando no Woodstock em 1969/Getty Images

Ao jornal, ele explicou que o show que sua banda faria no festival atrasou 14 horas (!!!). Eles tocaram apenas no domingo de manhã. Momento antes da apresentação chegar ao fim, o ativista Abbie Hoffman, também frito no LSD, subiu ao palco e tomou o microfone do guitarrista Pete para dizer que o foco do show não deveria ser a música, mas sim a prisão de John Sinclair, um empresário preso por posse de uma pequena quantidade de maconha. Na autobiografia do músico, "Who I Am", ele contou que fingiu empurrar Abbie com sua guitarra, e a plateia foi à loucura com seu ato de "não-violência".

Roger também comentou sobre a apresentação mais marcante do Woodstock para ele: "Do Creedence Clearwater Revival, aquilo foi demais". E disse que, se o festival fosse hoje, e ele precisasse esperar tanto no backstage, ele teria "saído fora de lá e voltado apenas 10 horas depois".

"Nós éramos a banda errada para ficar esperando. Nossa música soa como uma 'anarquia energizada'. Estávamos lançando 'Tommy', nossa primeira ópera rock, e queríamos alcançar algo diferente naquele show. Apesar dos pesares, até que funcionou", lembrou ele, que destacou a plateia do Woodstock como o grande responsável pelo sucesso do evento. "O público era o rockstar. 500 mil pessoas que suportaram aquela porcaria por três dias", divertiu-se. "Na minha opinião, a união dessa comunidade foi determinante para tirar os EUA da guerra do Vietnã. Foi quando os políticos começaram a se tocar", avaliou.

Certa vez, o vocalista do Who disse que o show que a banda fez no Woodstock foi o "pior de sua carreira". Agora, Roger minimiza a afirmação. "Foi uma apresentação particularmente difícil para mim, por conta do estado dos equipamentos. Nada funcionava direito e eu mal conseguia ouvir o que eu estava cantando", declarou.

Ainda sobre o desentendimento entre Pete Townshend e o ativista Abbie Hoffman, o vocalista do Who lamentou que não tenham registrado esse momento tão engraçado em vídeo. "Acho que ouvi Pete gritar: 'Faça isso de novo e eu vou te matar'. E, realmente, ele não teria se recuperado se Pete tivesse batido com sua guitarra Gibson na cabeça dele", admitiu Roger.

Por fim, o músico fez uma polêmica afirmação, dizendo que o Woodstock não era só "paz e amor". "Havia muitos gritos rolando por lá. Quando o festival acabou, tinha muita gente irritada porque não foi paga, mostrando o pior lado de nossa natureza humana. No nosso caso, precisávamos ser pagos. Caso contrário, não poderíamos voltar para casa", finalizou.

Canais de Marcas

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest