Sala de concerto high-tech mede ondas cerebrais e batimentos cardíacos durante apresentações
Tecnologia

Sala de concerto high-tech mede ondas cerebrais e batimentos cardíacos durante apresentações

Pesquisadores do Instituto McMaster de Música e Mente, em Hamilton, no Canadá, criaram algo único e inovador: uma sala de concertos tecnológica, capaz de medir ondas cerebrais e batimentos cardíacos nos músicos e na plateia durante as apresentações. Ela foi batizada de Live Lab, ou laboratório vivo, em tradução livre.

É ali que acadêmicos como Laurel Trainor, diretora do instituto e flautista da Orquestra Sinfônica de Burlington, realizam seus estudos sobre o processamento da música no cérebro. Outro pesquisador que utiliza o Live Lab como ferramenta para seus estudos é Dan Bosnyak. Por lá, ele investiga a plasticidade neural no sistema auditivo humano. Seu objetivo é entender mais sobre zumbidos e a perda auditiva periférica.

Aqui no Reverb, já falamos sobre estudos que investigam por que a música desperta emoções nas pessoas, mas nada parecido com o Live Lab, uma sala de concertos de 106 lugares, equipada com uma dezena de microfones, alto-falantes e sensores para medir as respostas cerebrais e fisiológicas — como frequência cardíaca, respiratória, transpiração — nos músicos e na plateia ao mesmo tempo.

Um detalhe interessante sobre o Live Lab é que toda a acústica da sala é feita digitalmente, o que permite controlar a experiência sonora do local e mudá-la quase que instantaneamente. Outro é que a criação do espaço high tech agilizou o resultado de pesquisas, que antes demoravam mais de uma semana para saírem.

Engenheiros, psicólogos e médicos pesquisadores de diversas áreas trabalham no Live Lab ao lado de músicos, artistas de mídia e da indústria para estudar o desempenho, a percepção, o processamento neural e a interação humana em torno da música.

Eles analisam, por exemplo, como fazemos música em grupo, ou como músicos coordenam seus movimentos e sincronizam seus cérebros para se apresentarem em conjunto. Quando se fala de plateia, os pesquisadores buscam entender porque as pessoas gostam tanto de assistir a apresentações ao vivo. Não seria mais confortável ouvir em casa, na sua poltrona favorita?

Todos os estudos realizados no Live Lab visam a explorar benefícios à saúde humana. Com os resultados obtidos pelos pesquisadores da sala concerto high tech, já é possível considerar as implicações que a música tem na vida de pessoas portadoras de Parkinson e na de crianças com dislexia.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest