Tipo Importação: A eletrônica pensante e dançante do português Moullinex
Especial

Tipo Importação: A eletrônica pensante e dançante do português Moullinex

Nome: Moullinex

Gênero: Eletrônica

Desde quando: 2012

Redes sociais: 70 mil fãs no Facebook e 184,571 ouvintes mensais no Spotify

Discografia: “Flora” (2012), “Elsewhere” (2015) e “Hypersex” (2017)

O DJ português Moullinex tem uma certeza: a música eletrônica existe para fazer dançar e para fazer pensar. É por isso que ele define “Hypersex”, seu mais recente álbum, como uma carta de amor à “cultura dos clubes” e também como um manifesto por um mundo “com espaço para todos, a despeito de sua origem, visão política, raça, gênero e sexualidade". Cheio de influências como house, soul, MPB e jazz, o disco recebeu elogios da crítica de Portugal e rendeu ao músico convites para se apresentar em festivais da estirpe de Primavera Sound, SxSW e Rock in Rio Lisboa.

“Apesar de não parecer, a música de dança é sempre política: é criada para escapar a uma realidade hostil e celebrar a inclusão, o amor, a felicidade”, teoriza, em entrevista ao Reverb. “Quando estamos felizes, livres, dançamos. Dançamos com estranhos, aceitamos diferenças, quebramos barreiras. Mesmo que seja por umas horas. É assim desde o disco em Nova York, o acid house no Reino Unido da Margaret Thatcher, o funk no Brasil, o afro-house em Lisboa. Como seres humanos, são mais as coisas que nos aproximam do que as que nos separam. E dançar é uma delas”.

Quando estamos felizes, livres, dançamos. Dançamos com estranhos, aceitamos diferenças, quebramos barreiras. Mesmo que seja por umas horas

Para garantir que o disco fosse suficientemente dançante, ele se cercou das melhores companhias. Fritz Helder, Georgia Anne Muldrow (que já colaborou com Flying Lotus e Mos Def), UhAhUh participam do álbum, além de velhos conhecidos de Moullinex, como Iwona Skwarek, Best Youth, Marta Ren e Da Chick, outra sensação da música portuguesa. A intenção, segundo ele, era criar um clima de “promiscuidade criativa”, que resultou em singles instigantes, como "Love Love Love", "Open House", "Work it Out" e "Carnival”:

“Não só na música, mas também no grafismo ou nos vídeos, a ideia era ser um disco colaborativo”, explica. “Alguns destes convidados já são repetentes, cúmplices de sempre, e com outros trabalhei pela primeira vez. Comecei este projecto fazendo remisturas, e por isso estou habituado a trabalhar com vozes diferentes. E é muito gratificante fazer música com outros músicos, levam-nos por caminhos inesperados e aprendemos muito”.

O DJ português Moullinex / Divulgação
O DJ português Moullinex / Divulgação

Ah, sim. Moullinex é a identidade secreta do produtor e multi-instrumentista Luis Clara Gomes. Autor de remixes de trabalhos de artistas como Røyksopp, Cut Copy e Two Door Cinema Club, ele se projetou para a cena da música eletrônica com os sucessos “Take My Pain Away” e “Maniac”. Depois de alguns EPs lançados pelo selo alemão Goma, soltou “Flora”, seu álbum de estreia, em 2012. O trabalho foi seguido por “Elsewhere”, de 2015.

Moullinex diz que foi criado ao som da música popular brasileira. Liniker, Castello Branco, Cícero, Mallu (agora sua vizinha), Mahmundi e Silva são alguns dos que fazem a sua cabeça. Os nomes em inglês e os parceiros internacionais entregam que ele superou, há muito, as fronteiras de Portugal e ganhou o mundo. O português conta que, com ajuda da internet, a maior parte de seu público vem de Estados Unidos, Inglaterra e México.

"E também no Brasil! Para mim, é essencial, e estou muito grato por isso. Somos um país de 10 milhões, logo, a escala é muito pequena para qualquer projecto artístico. Basta comparar com o Brasil. O mundo digital de hoje permite-me ser um artista de nicho, mas ainda assim chegar a muita gente em todo o lado”.

Neste ano, Moullinex lançou seu primeiro single desde o lançamento de “Hypersex”. “Dream On” marca a estreia do DJ na editora americana Majestic Casual. Ligada ao YouTube, a empresa é uma plataforma de curadoria online para a divulgação de artistas, músicos e fotógrafos encontrados pela web.

* Tipo Importação é um especial que, todo mês, vai apresentar o melhor da música de países não tão visados pelos brasileiros. Neste mês de estreia do Reverb, apresentaremos ritmos e grupos de Portugal . Você lê a primeira parte aqui.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest