Tipo Importação: Trance orgânico, misturas multiculturais e heranças de dois continentes marcam a música do Marrocos
Especial

Tipo Importação: Trance orgânico, misturas multiculturais e heranças de dois continentes marcam a música do Marrocos

Quando se fala em cultura marroquina, é obrigatório pensar na diversidade da população do país. Música, artes dramáticas e artes plásticas têm influências de culturas árabes, berberes nativas, da África subsaariana e também da Europa. As línguas usadas são tanto as oficiais do país — o árabe e o tamazigue — quanto o dialeto marroquino (darija) e o francês.

Por isso, não é de se estranhar que a música do Marrocos se desenhe a partir de subdivisões de acordo com a região e o grupo étnico associado a ele. Venha conhecer as principais:

Música clássica árabe-andaluz

Mix das estruturas modais típicas da música árabe e do dedilhado típico do flamenco espanhol, este estilo tem bastante percussão, muitos instrumentos de corda, flautas e instrumentos artesanais produzidos em vilas marroquinas. As letras são cantadas em árabe, normalmente por homens vestindo roupas típicas, e as apresentações são em festas familiares e religiosas.

Muitos festivais e shows mais pop costumam abrir espaço para performances desse estilo, mostrando respeito à herança cultural do país.

Música berbere

Letras da música berbere são passadas de geração em geração / Foto: Divulgação
Letras da música berbere são passadas de geração em geração / Foto: Divulgação

É considerada a música nativa da parte oeste do Marrocos. As letras, em dialetos tamazigues, são passadas de geração para geração dentro dos moldes da tradição oral. O som é feito com tambores, flautas, instrumentos de sopro e o rabab (ou rubab ou, ainda, robab), um instrumento local com uma única corda.

As ocasiões públicas onde se escuta música berbere com mais facilidade são o Festival de Artes Populares de Marrakesh e o Festival Timilar de Agadir. De resto, ela é tocada em festas locais nas vilas berberes. Quem faz turismo de imersão em terras marroquinas pode ter a sorte de se deparar com apresentações bem de raiz deste estilo.

Gwana

Considerada a “música mística” do Marrocos, é típica das populações subsaarianas – seus criadores foram os escravos libertados de Marrakesh e de Mogador, que a executavam inicialmente como uma celebração de vida e liberdade.

O som, uma espécie de pai do trance, é rústico, orgânico - nada eletrônico, claro. E as danças que o acompanham lembram coreografias de ginástica rítmica. A música pop contemporânea do Marrocos usa muitos elementos da gwana, assim como o jazz, o reggae e o rap feitos no país.

*Tipo Importação é um especial que, todo mês, vai apresentar o melhor da música de países não tão visados pelos brasileiros. Neste mês apresentaremos ritmos e artistas do Marrocos.

Canais de Marcas

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest