Troubadour, casa de shows de Los Angeles onde Elton John 'flutuou' em 'Rocketman', está ameaçada de fechar
Entretenimento

Troubadour, casa de shows de Los Angeles onde Elton John 'flutuou' em 'Rocketman', está ameaçada de fechar

Palco que catapultou artistas como Elton John (cena famosa de "Rocketman" mostra o então pouco conhecido artista inglês flutuando ao som de "Crocodile Rock"), Metallica, Mötley Crüe, Guns N' Roses, James Taylor, Weezer, o Troubadour, em Los Angeles, está ameaçado de fechar. A pandemia do novo coronavírus está ameaçando gravemente a sobrevivência do clube de West Hollywood, que, como tantos outros espaços independentes, só poderá reabrir em 2021.

A pequena casa de shows, que tem apenas 500 lugares de pista, uma varanda e área VIP, foi aberta em 1957 por Doug Weston e funcionou por um curto período em outro endereço, no La Cienega Boulevard, antes de se mudar para o local atual. Depois da morte de Doug, em 1999, o sócio Ed Karayan assumiu todo o negócio. Sua filha Christine Karayan, gerente geral, falou sobre a difícil situação ao "Los Angeles Times": "Nós só poderemos reabrir do meio até o final do próximo ano e talvez com um limite de 25% na capacidade de público. Eu não consigo prever se seremos capazes de superar algo assim". Ela se refere às medidas recém divulgadas pelo governador da Califórnia Gavin Newsom, que estipulou estágios para a reabertura do comércio — os clubes e casas de shows estão no estágio 4 ou seja, serão os últimos a voltar a funcionar.

Elton John e Kiki Dee em show no Troubadour na década de 1970. Foto: Getty Images
Elton John e Kiki Dee em show no Troubadour na década de 1970. Foto: Getty Images

Nos anos 1960, o Troubadour era um reduto dos melhores artistas de folk e blues: ajudou a alavancar a carreira de artistas como Joni Mitchell, Jackson Browne e Judy Collins, antes de abraçar rock e jazz com nomes como The Byrds, Eagles e Nina Simone. O espaço foi importante também nas carreiras de cômicos como Lenny Bruce (1925-1966), que foi preso por falar "schmuck" no palco, Steve Martin e Cheech & Chong. Manteve sua independência nas décadas seguintes enquanto outros clubes fechavam ou faziam parcerias com grandes empresas como Live Nation e AEG.
Na cena famosa de "Rocketman", Elton John viaja para os Estados Unidos para fazer seu primeiro show importante. Aos 20 anos, o artista iniciante se consagra diante de uma plateia formada por artistas, gente de gravadora e rádio. "Era como se tudo de que eu estava esperando tivesse acontecido repentinamente... Eu poderia dizer que foi uma noite mágica desde o momento em que subi ao palco", disse Elton, anos depois, em uma entrevista ao "The New York Times".

James Taylor nos bastidores do Troubadour em 1970. Foto: Getty Images
James Taylor nos bastidores do Troubadour em 1970. Foto: Getty Images

O espaço pequeno, que sempre permitiu uma proximidade entre artista e público, abarcou vários gêneros sem nenhum tipo de preconceito. Nos anos 80, quando o heavy metal atravessou o sul da Califórnia, o Troubadour recebeu os primeiros shows do Slayer, Metallica e Mötley Crüe. Nos anos 90 chegou o pop, o grunge e rock alternativo: Foo Fighters, Queens of the Stone Age, Dave Matthews, White Stripes, Bon Iver e Weezer, todos bateram ponto no local.

Em 2016, o Guns N' Roses fez um retorno nostálgico ao "berço" intimista. Confira aqui.

Weezer no palco do Troubador em dezembro de 2000. Foto: Getty Images
Weezer no palco do Troubador em dezembro de 2000. Foto: Getty Images

Como a maioria dos proprietários, Christine imaginou, no início, que a pandemia provocaria uma crise temporária. "'O que está acontecendo?', perguntávamos no início e então começamos a cancelar os shows", conta ela, que agora está desesperada. "Quanto mais eu penso sobre isso, é completamente inútil. Pelo menos os grandes locais, que têm configuração de mesas, têm espaço para manter as pessoas afastadas. Mas não sei como isso funciona para um que só tem pista. Você vai impedi-los de usar o banheiro?", questiona.

O último show do Troubadour foi o do Glass Animals, dia 11 de março. No dia seguinte, a gerente diz que tudo começou: "Quando entramos no escritório, pensei: 'Algo terrivelmente errado está vindo em nossa direção'. Então, decidi cancelar os shows até maio".

Além do Troubadour, alguns dos clubes mais conhecidos de Los Angeles, incluindo The Viper Room, Whisky A Go Go, The Mint, Largo at the Coronet e Rainbow Bar and Grill, se juntaram a mais mil outros locais em todo o país na The National Independent Venue Association. Eles enviaram mensagens a clientes e apoiadores, pedindo para visitar o site da associação e manifestar seu apoio ao esforço de contatar o Congresso em busca de apoio financeiro.

O clube lançou mão de um outro recurso, mais imediato, e criou uma página no site GoFundMe para levantar recursos para manter seus 20 funcionários. Até o momento, a Troubadour Relief Fund arrecadou US $ 22.500 da sua meta de US $ 50.000. "Parece brega, mas é uma realidade neste momento. Se vamos sobreviver a essa coisa - e isso é muito importante - vamos precisar de toda a ajuda que pudermos obter, vindas de qualquer direção", diz Christine.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest