Tudo Tanto: Melvin Ribeiro lança 'Estrada — Mil Shows do Melvin', a quase enciclopédia do rock nacional independente
Especial

Tudo Tanto: Melvin Ribeiro lança 'Estrada — Mil Shows do Melvin', a quase enciclopédia do rock nacional independente

Um trabalhador incansável do rock independente brasileiro. Esse é Melvin Ribeiro, multi-instrumentista e onipresente que, em pouco mais de vinte anos de carreira, fez mais de mil shows em muquifos para poucos pés rapados e para dezenas de milhares de pessoas, em formações diferentes de bandas diferentes. Todos eles são relembrados no primeiro livro escrito pelo baixista, "Estrada - Mil Shows do Melvin", que ele está lançando agora. O projeto saiu graças à verba arrecadada em um financiamento online coletivo.

"O livro é a reunião das melhores histórias desses mil shows", me explica por e-mail. "Às vezes, tem shows gloriosos mas que não geram histórias divertidas. A ideia é contar de forma definitiva as minhas histórias peculiares, muito mais que auto-adulação. Eu aproveitei que logo em seguida ao milésimo (show) eu perdi o emprego e usei o salário-desemprego para ficar em casa escrevendo. Comecei pelo índice, listando tudo o que não podia faltar e depois conferindo na lista, acrescentando mais alguma coisa. Todo dia acordava, abria o computador e escolhia um capítulo. Ia nas informações da época, puxava da memória, googlava umas coisas... E assim foi tomando vulto", conta.

Melvin Ribeiro em show da banda banda Autoramas, no Circo Voador, no Rio de Janeiro / Foto: Marcos Hermes
Melvin Ribeiro em show da banda banda Autoramas, no Circo Voador, no Rio de Janeiro / Foto: Marcos Hermes
Já tive cabelão e toquei thrash metal com a minha banda na Argentina, tive meu Ramones

"Estrada" passa por diferentes situações, continentes e encarnações. "Já tive cabelão e toquei thrash metal com a minha banda na Argentina, tive meu Ramones e viajamos os Estados Unidos para lançar o CD e tocar com o Marky Ramone. Fui um Los Hermanos por uma noite, toquei no CBGB's com minha banda proto-emo, tive temporadas tocando Roberto Carlos com um ícone da Jovem Guarda nos teclados...", enumera ele. Entre os grupos que o consagraram nestas duas décadas estão Carbona, Hill Valleys, Lafayette & Os Tremendões. Melvin também se apresentou com formações diferentes de bandas estabelecidas, como Leela, Autoramas, Acabou La Tequila, Monobloco, entre outras.

Ele continua com as lembranças. "Alguns shows bastante marcantes: o Carbona na segunda vez no Hangar 110 e já lotando, ao lado de Zumbis, Holly Tree e Blind Pigs; o Autoramas como headliner no Circo Voador com Boogarins; o Acabou La Tequila abrindo pro Weezer; o Hill Valleys no CBGBs; Lafayette & Os Tremendões recebendo o Erasmo Carlos para uma canja... Acho que tocar no Los Hermanos era um sonho que me angustiava um pouco, porque eu achava que ia acontecer antes e quando rolou, já no penúltimo show da tour do Bloco do Eu Sozinho, foi sonho e desabafo ao mesmo tempo. Tudo isso voltou muito forte escrevendo o livro", lembra.

No livro "Estrada - Mil Shows do Melvin", o baixista conta sobre experiências musicais em diferentes continentes e situações / Foto: Andre Olive
No livro "Estrada - Mil Shows do Melvin", o baixista conta sobre experiências musicais em diferentes continentes e situações / Foto: Andre Olive
O Autoramas estreando a formação nova no Rio, no Escritório do Lê Almeida apinhado de gente, tocando no chão mesmo, todo suado, foi inesquecível

Melvin conta que, como discípulo de Kurt Cobain (líder do Nirvana) e Ian McKaye (líder do Fugazi), aprendeu muito cedo que o tamanho do lugar — ou do palco — não é determinante para marcar a vida de um artista. "O Autoramas estreando a formação nova no Rio, no Escritório do Lê Almeida apinhado de gente, tocando no chão mesmo, todo suado, foi inesquecível, assim como os primeiros shows do Carbona no Empório", diz.

A ideia de fazer uma contagem de shows começou antes mesmo de Melvin ter sua primeira banda. Ele já era louco por música e adorava camisas de turnê, aquelas com os nomes das bandas e as datas dos shows. "Eu anotava na agenda do colégio as minhas datas, preparava o design da minha camisa imaginária e listava tudo, incluindo todas as bandas e o instrumento que usei. Isso virou uma planilha no meu primeiro computador e seguiu sendo atualizada", conta ele que, nos anos 2000, com o advento das agendas digitais, passou a atualizar a lista anualmente só. "Quando o Carbona fez 50 e poucos shows no seu primeiro ano e mais 50 no segundo, passei a achar que um dia poderia cruzar a linha de chegada. Não achei um jeito legal de incluir a lista no livro mas ela está disponível no meu site".

Melvin já pensava em fazer uma contagem de shows antes mesmo de ter a primeira banda / Foto: Bruno Baketa
Melvin já pensava em fazer uma contagem de shows antes mesmo de ter a primeira banda / Foto: Bruno Baketa

O milésimo show era algo que o músico sempre tratou como especial. Era uma meta de vida, traçada quando a lista de contagem ultrapassou as primeiras centenas. "Seria a estreia do meu primeiro projeto solo, a primeira vez que eu cantaria, e estrearia um repertório próprio. Foi a minha ideia, seis meses da data e sem nada pronto. Seria finalmente a chance de tirar isso do papel", diz. Como Pelé e Romário — que antes de marcaram seus respectivos milésimos gols, "travaram" —, Melvin imaginou que, por se tratar de um show, ele não passaria por isso, mas o desafio seria inspirador.

E foi mesmo. Só não foi fácil. "Só já em cima da hora que eu me toquei da loucura de decidir absolutamente tudo em relação ao show, e até como o setlist seria complicado. Mas foi maravilhoso, estreamos a banda Melvin & os Inoxidáveis e tive trocentas participações: o Henrique do Carbona, o Barba dos Los Hermanos, o Acabou La Tequila, o Fred dos Autoramas e Raimundos, o Marvio do Cabaret, os Funk Fuckers... Tocamos Roberto Carlos, Ramones, Specials e David Bowie. Foi no Sergio Porto, praticamente lotado, um clássico absoluto da cidade, e ainda montei um cenário com camisas das bandas que toquei ou me influenciaram", conta sobre o show que aconteceu numa quarta-feira, dia 26 de outubro de 2016.

É claro que Melvin não parou no show número mil. Pela sua conta, desde então, já fez outros 104. "De lá pra cá o Melvin & Os Inoxidáveis começou a tocar direto, o Carbona retomou as atividades — agora com o Fred Castro na bateria — e inventei algumas modas, como recriar o 'Bora Bora' dos Paralamas com onze músicos".

Eu quero filmar um show contando histórias do livro e tocando um repertório especial

O livro acaba conversando com a evolução do rock independente brasileiro, especificamente da cena carioca. "Não pensei nisso, mas faz bastante sentido", avalia. "Um grande amigo, que vem do meio do futebol, me mandou um áudio perguntando várias coisas sobre o livro e em dado momento ele perguntava quando eu teria desistido do sonho de lotar estádios e tocar na rádio. Expliquei pra ele que comecei tocando com o surgimento do Nirvana, então meu sonho sempre foi ter uma van com amplificadores e bateria, rodando o país, com as tais camisas com as datas nas costas. E isso aconteceu várias vezes. Eu comecei a tocar nesse momento que o rock independente se tornou viável, quando juntar o cachê dos shows com os CDs vendidos com camisa — e até com CDs de outras bandas que trocávamos —, dava pra vislumbrar uma bela sobrevivência".

Mas "Estrada" não para no papel. "Eu quero filmar um show contando histórias do livro e tocando um repertório especial", sonha, antes de falar das outras novidades musicais — e até mesmo editoriais. "O Inoxidáveis está gravando um single novo, o Carbona lançou disco mês passado, o Tripa Seca — com Nervoso, Callado e Renatinho — está com o disco gravado, sai agora também. Eu já tive algumas ideias para livro, quero arriscar uma ficção, e tenho umas ideias de livros sobre música, umas biografias, mas ainda não comecei nada, estou curtindo esse momento do primeiro livro chegando nas pessoas." Salve, Melvin!

Capa oficial do livro de Melvin, "Estrada - Mil Shows do Melvin" / Foto: Divulgação
Capa oficial do livro de Melvin, "Estrada - Mil Shows do Melvin" / Foto: Divulgação

Canais de Marcas

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest