Volume da música que você ouve pode determinar se a sua dieta vai dar certo ou não
Tecnologia

Volume da música que você ouve pode determinar se a sua dieta vai dar certo ou não

Publicidade

No dia a dia de comerciantes, saber lidar com o humor dos clientes pode ser essencial na hora de vender ou deixar alguém sair da loja de mãos vazias. Além da decoração e da abordagem escolhida pelos vendedores, colocar uma determinada música para tocar pode ser um chamariz para os compradores. Porém, um estudo recente publicado no jornal da Academy of Marketing Science indica que, no caso de restaurantes e cafés, o volume dessa música está diretamente relacionado ao tipo de comida que o cliente escolhe. Não, você não entendeu errado: o volume da música que você ouve pode te fazer comer mais ou menos besteira. 

LEIA MAIS: Assistir a shows aumenta expectativa de vida, diz estudo

E TAMBÉM: Mas, afinal, o que é o Reverb?

A pesquisa foi conduzida em um café de Estocolmo, na Suécia. Em um primeiro momento, foram colocadas nos alto falantes do ambiente músicas clássicas. Eles tocaram faixas de diferente estilos para os clientes, variando entre 55 e 70 decibéis. Cada item no cardápio foi classificado de três maneiras: “saudável”, incluindo itens como saladas; “não saudáveis”, bolos e chocolates, por exemplo; ou “neutro”, que incluía chás e cafés. Como esperado, quando o café estava tocando músicas mais calmas, as pessoas escolhiam itens mais saudáveis com 10% a mais de frequência. 

Costuma comer alimentos gordurosos? A música que você ouve pode ter a ver com isso (Foto: Thomas Schweighofer/Unsplash)
Costuma comer alimentos gordurosos? A música que você ouve pode ter a ver com isso (Foto: Thomas Schweighofer/Unsplash)

Em outra etapa da pesquisa, os cientistas foram até um supermercado, onde variaram o volume das músicas tocadas, e as compras dos clientes foram classificadas como “saudáveis” ou “não saudáveis”. Os compradores que foram expostos a músicas mais altas compraram itens menos saudáveis do que aqueles que ouviam música mais baixa.

Uma terceira fase do estudo comparou o efeito da música alta, da música baixa e da falta de música nas escolhas alimentares de 71 alunos. Os participantes ouviram música clássica a 50 decibéis ou 70 decibéis, ou foram submetidos ao silêncio. Após alguns minutos, os participantes foram questionados sobre quais alimentos prefeririam - salada de frutas ou bolo de chocolate. Mais uma vez, a música mais alta levou a escolhas menos saudáveis: aqueles que ouviram música tranquila escolheram o bolo de chocolate 14% do tempo, em comparação com 44% daqueles expostos a música alta.

Curiosamente, os indivíduos que não ouviam música tomavam decisões pouco saudáveis na metade do tempo - mais parecido com o grupo de música alta. Os pesquisadores acreditam que a música clássica tranquila pode ter induzido o relaxamento, o que influenciou positivamente na tomada de decisão.

LEIA MAIS: Para mais conteúdos sobre saúde e bem-estar, acesse o 'Minha Vida'

Depois de diversas etapas de pesquisa, cientistas concluíram que a música mais baixa “leva a um aumento nas vendas de alimentos saudáveis devido ao relaxamento induzido”. 

Esse novo conhecimento pode ser usado para ajudar no setor de varejo e restaurantes, mas entendê-lo também pode ser válido para ajudar quem está tentando comer de forma mais saudável ou perder peso.

Agora a gente começa a entender por que hamburgueria só costuma tocar rock, não é? 

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest