WayV dispensa rótulos e busca caminho singular no pop asiático, sem o glamour dos 'idols'
Entretenimento

WayV dispensa rótulos e busca caminho singular no pop asiático, sem o glamour dos 'idols'

O WayV foi reunido pela empresa sul-coreana SM Entertainment, é gerenciado pelo selo chinês Label V e passa o tempo entre a China e a Coreia. Seus integrantes concentram-se mais no mercado de mandarim, mas também participam de eventos da indústria do k-pop. Mas eles não aceitam rótulos “Queremos nos identificar como pop asiático ou realmente como pop WayV”, diz Ten, um dos sete integrantes. E a banda parece que veio mesmo para abalar as estruturas da música asiática, pois seu EP "Take Off" chegou no topo das paradas de streaming do iTunes em todo o mundo.

Com pouco mais de um ano de sua estreia com o EP "The Vision", o WayV, que significa We Are Your Vision, tem sete integrantes entre 20 e 24 anos: Kun, Ten, Winwin, Lucas, Xiaojun, Hendery e Yangyang. Todos são descendentes de chineses, mas vindos de vários países e fluentes em vários idiomas. O WayV é uma sub-unidade do supergrupo NCT, que ainda inclui o NCT127, NCT U e o NCT Dream. Ten, Lucas e Winwin se apresentam ainda no NCT U, sendo o último membro também do NCT 127.

Depois do primeiro lançamento em janeiro de 2019, os integrantes partiram para “Take Off” em maio (que alcançou o topo da parada QQ Music, o maior site de música da China, e liderou as paradas de álbuns do iTunes em 30 países, a primeira vez de uma boy band chinesa) e “Take Over The Moon” em outubro do mesmo ano. Na cerimônia do Mnet Asian Music Awards (MAMA) em dezembro, o grupo ganhou o prêmio de melhor artista asiático do ano.

O fato de terem sido criados por uma empresa da Coreia do Sul não faz com que o WayV seja um representante do k-pop — aliás, os integrantes refutam o rótulo, pois querem abrir um caminho próprio dentro do cenário musical global. "Queremos nos identificar apenas como pop asiático ou realmente como pop WayV. Espero que isso se torne uma coisa no futuro", diz o tailandês Ten em entrevista à "Billboard". Lucas, que nasceu em Hong Kong, acha que atrelar artistas às suas nacionalidades é algo ultrapassado. "Sinto que é meio velho falar sobre nacionalidade. Nesta era, geração e sociedade em que vivemos, é preciso aproveitar nossos elementos culturais e exibi-los para o mundo, e não apenas nos limitar à nossa nacionalidade. Não há fronteiras para a música", diz ele.

Todos os integrantes garantem que suas diferentes origens são um fator a mais da harmonia dentro do grupo. “Sentimos que temos um relacionamento muito real, principalmente porque viemos de diferentes partes do mundo e nos unimos para formar um grupo. Isso mostra nossa determinação e paixão por estar juntos”, diz Lucas. "Existe respeito e entendimento", acrescenta Hendery. "E mais uma razão: todos nós realmente amamos música", completa Xiaojun.

Além da intenção de seguir um caminho próprio e, quem sabe, quebrar a hegemonia do k-pop, o WayV também faz questão de ficar longe da classificação de "ídolos". Na Ásia, o termo é ligado a jovens cantores, atores e modelos de boa aparência e com uma imagem inocente ou chamativa. "Sinto que é importante usar as mídias sociais porque quando as pessoas nos veem como 'ídolos', precisamos ser perfeitos. Talvez seja apenas um estereótipo. As pessoas esperam que sejamos perfeitos, mas também somos humanos. Não queremos que os fãs nos vejam como 'Oh, eles são ídolos!' e sim como amigos", diz Ten. Kun acrescenta que faz questão de mostrar o quanto eles são pessoas comuns. "Eu realmente quero mostrar às pessoas que somos comuns, então postamos fotos de nós mesmos viajando, ensaiando e outras coisas. Quero enfatizar que estamos crescendo juntos, e não somos apenas ídolos bem-sucedidos", destaca.

Ainda sobre o uso das mídias sociais como aproximação dos fãs, Ten conta que muitas vezes funciona como uma grande motivação para ele. “Às vezes, quando fico deprimido ou muito cansado e desmotivado, sinto que os fãs são minha motivação, minha força para continuar fazendo o que gosto. E quando leio os comentários em minhas publicações, sempre aprendo coisas novas", garante. Um vínculo que se reflete, por exemplo, na faixa "Face to Face" de "Take Over the Moon", uma das preferidas de Xiaojun. "Ela nos mostra como amar as pessoas e se importar com outras pessoas é algo que eu realmente quero transmitir. O amor é a coisa mais importante do mundo, é poderoso", diz.

Para ampliar a compreensão dessa mensagem, já que cantam em mandarim, eles gravaram "Love Talk", faixa que declara o amor do WayV pelos fãs internacionais. "Sabemos que temos muitos fãs em todo o mundo, então decidimos lançar essa música em inglês para que possamos nos conectar com eles. Queremos nos tornar globais", diz Ten.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest