Woodstock black? Em 1969, no Harlem, Nina Simone, Stevie Wonder, B.B. King e outros fizeram um festival histórico, mas pouco lembrado
Heineken Rock

Woodstock black? Em 1969, no Harlem, Nina Simone, Stevie Wonder, B.B. King e outros fizeram um festival histórico, mas pouco lembrado

O ano de 1969 foi histórico para a cultura e a música americana. Não apenas por causa do Woodstock, incansavelmente lembrado como o maior festival de todos os tempos. Mas também por conta de outros eventos tão emblemáticos quanto, como o Harlem Cultural Festival, que levou até o bairro nova-iorquino uma série de shows gratuitos durante o verão daquele ano, de 29 de junho a 24 de agosto.

Os artistas que se apresentaram no local — que ficava a 160 km da fazenda onde aconteceu o Woodstock — representavam 100% a black music e o black power — o que, justamente, era a intenção dos organizadores do festival: Nina Simone, B.B. King, Stevie Wonder, Sly and the Family Stone, The Staple Singers, The 5th Dimension, Gladys Knight and the Pips, Abbey Lincoln & Max Roach, entre outros nomes notáveis.

Para se ter uma noção de como o evento foi uma verdadeira festa de representatividade e orgulho negro, os Panteras Negras providenciaram a segurança do local durante o show de Sly & The Family Stone, em 29 de julho de 1969. Isso porque a polícia de Nova York simplesmente se negou a realizar seu trabalho, garantido pela constituição federal.

Os Chambers Brothers se apresentam no Harlem Cultural Festival, em 29 de julho de 1969/Getty Images
Os Chambers Brothers se apresentam no Harlem Cultural Festival, em 29 de julho de 1969/Getty Images

Raymond Robinson, um repórter da "New York Amsterdam News", escreveu, em outubro de 1969: "O Harlem Cultural Festival foi, realmente, um evento emblemático. Mas será que foi totalmente apreciado pela indústria cultural?".

Sem querer, o jornalista previu o que se passaria 50 anos depois, já que poucos se lembram do evento, muitas vezes referido como "Black Woodstock". "A imprensa branca apenas se preocupa com a comunidade negra durante um tumulto ou uma grande perturbação", observou Raymond nesse mesmo artigo.

No verão de 1970, os organizadores bem que tentaram repetir a dose do Harlem Cultural Festival, mas sua segunda edição nunca chegou a acontecer. A justificativa dada pelo fundador do evento, Tony Lawrence, foi que ele havia sido alvo de uma fraude por parte dos investidores do projeto, além de ter sido ameaçado pela máfia local.

O Harlem Cultural Festival começou a ser pensado em 1967, quando o produtor Tony Lawrence foi contratado pela prefeitura de Nova York para organizar uma programação de verão no bairro do Harlem. Até 1969, quando o festival foi realizado, houve um crescimento enorme da consciência negra no local, bem como um "boom" de artistas negros nos EUA.

A coisa ficou tão grande que políticos brancos com aspirações a cargos no governo, como Robert F. Kennedy e John Lindsay, prefeito de Nova York na época, sentiram interesse em comparecer ao evento. Lideranças da comunidade negra, como o pastor Jesse Jackson e o ativista Marcus Garvey Jr. também marcaram presença.

"O Harlem Cultural Festival foi uma maneira de compensar a dor que sentimos após a morte de Martin Luther King Jr. (1929-1968)", disse Jesse em entrevista à "Rolling Stone". "Os artistas tentaram expressar as tensões da época. Eles sentiram uma dor e uma alegria ferozes."

Abbey Lincoln se preparando para entrar no palco do  Harlem Cultural Festival/Getty Images
Abbey Lincoln se preparando para entrar no palco do Harlem Cultural Festival/Getty Images

Mesmo esquecido por tantas décadas, o Harlem Cultural Festival está voltando, aos poucos, a receber a atenção que merece. Para celebrar seus 50 anos, o evento ganhou uma homenagem de Sly & the Family Stone, que realizou um show gratuito no dia 17 de agosto.

Em 2018, o jornalista britânico Stuart Cosgrove publicou o livro "Harlem 69", um relato abrangente sobre a história do festival e do bairro. E em 2020, um documentários com imagens inéditas de Hal Tulchin, o cara que registrou tudo em 1969, está em vias de ser lançado.

Canais de Marcas

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest