'Yardie': Idris Elba lança mixtape baseada em filme e fala sobre suas raízes na cultura DJ e hip-hop
Entretenimento

'Yardie': Idris Elba lança mixtape baseada em filme e fala sobre suas raízes na cultura DJ e hip-hop

Idris Elba tem mais talentos do que podemos contar. Além de ator, o artista também é DJ e um apaixonado pela música desde a infância. Apesar de ainda não ter um álbum próprio, ele acaba de lançar seu terceiro projeto musical inspirado em uma obra audiovisual com a qual estivesse envolvido. Trata-se da mixtape de "Yardie", filme lançado no ano passado e que marcou a estreia de Idris como diretor de cinema.

O álbum, que tem 14 faixas no total, é uma espécie de extensão do longa-metragem. Idris queria que a história do filme fosse contada por meio das músicas. Entre os artistas que compõem a setlist, estão Zed Bias, da cena eletrônica, e o duo inglês Newham Generals.

Idris Elba apresenta seu set durante a edição deste ano do Coachella / Foto: Getty Images
Idris Elba apresenta seu set durante a edição deste ano do Coachella / Foto: Getty Images

"Eu sentei com o Ross Allen e o pessoal da gravadora e conversamos bastante sobre o que a gente queria fazer. Esse é o meu terceiro 'álbum de personagem', em que toda a narrativa dele é guiada por um personagem (de cinema ou série). Não é só 'inspirado no filme', nós realmente queríamos fazer algo que contasse a história do personagem no formato de um álbum. Isso transformou as histórias do D e do King Fox (personagens de 'Yardie') na própria música", explica o artista, em entrevista a “The Quietus”.

Idris já havia feito algo semelhante com "Mandela" e "Luther". Nos dois trabalhos, o ator-DJ-produtor organizou músicas que dialogassem com os projetos audiovisuais (você pode ouvir aqui e aqui).

O artista britânico sempre teve a música bem presente ao longo da vida. A carreira como DJ começou ainda na adolescência, como já falamos aqui. Sem contar as participações que fez em álbuns de Jay-Z e Skepta, por exemplo. "Eu me tornei DJ muito por influência familiar. Meu tio fazia casamentos e festas assim, então eu convivia com amplificadores, grandes salões, vans... Foi o começo da minha paixão pela cultura dos sound systems", conta.

É claro que eu quero fazer um álbum do Idris Elba, mas eu ainda sinto que eu preciso merecê-lo

"Eu tocava sempre hip-hop, ragga, jungle, depois passei para house e garage. Quando eu tinha 16 anos, eu fiz parte de um grupo de rap chamado Ultra Demus. Tínhamos um som bem americano, que, quando eu comecei a minha própria carreira, foi ali que eu comecei a ter uma noção do meu próprio senso de identidade (como músico)."

Depois do terceiro "álbum-personagem", o ator espera fazer algo mais pessoal em breve. Ele diz que suas raízes artísticas surgiram na música e resgatá-las nesse sentido é algo natural. “Um dia eu vou fazer algo que seja somente eu, sem dúvida. É claro que eu quero fazer um álbum do Idris Elba, mas eu ainda sinto que eu preciso merecê-lo. Todo o trabalho que eu faço hoje, seja como DJ, seja fazendo colaborações, acho que isso mostra um pouco mais que eu lido com isso com seriedade.”

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest